quarta-feira, novembro 13, 2013

Não vou entrar no mérito se o rei do camarote trolou ou não a Veja. Isso é um problema deles.

O que me causou estranheza foi o levante de vozes, indignadas, condenando o sujeito por gastar R$ 50 mil em uma noitada. Em primeiro e último lugar o dinheiro, supostamente, é dele e ele poderia até limpar o rabo com ele. Preferiu comprar amigos e mulheres, menos mal.

Mas se o motivo da indignação está certo, isto é, a ostentação sem sentido, então temos um erro crasso de conceito, e inveja desmedida.

Por exemplo, os preços praticados no Brasil para qualquer coisa, de produtos a serviços, deveriam nos colocar como a maior renda per capita do mundo. Mas sabemos que isso é mentira. Como justificar um almoço fora de casa para 3 pessoas por mais de R$ 150,00, por exemplo? Vejo carros de luxo aos montes, muito caros por sinal, circulando e fico tentando imaginar como é que o sujeito deve pagar a gasolina e o IPVA. Ontem mesmo vi uma notícia de um condomínio na Barra da Tijuca, sob a tutela da rede Grand Hyatt Residences, cuja cobertura custa a bagatela de 61 MILHÕES de reais.

Não conheço pessoas abonadas. A maioria esmagadora, como eu, são pobre mortais que lutam para ter um mínimo de conforto. Não é possível que o resto do país ganhe tão bem assim. Ou então haja carnê.

Por que então essas aberrações não são alvo de manifestações indignadas?

Copyright 2010 Jus Indignatus por Ricardo Rayol*template e layout layla*
Clicky Web Analytics