terça-feira, outubro 15, 2013

"Não tenho prova objetiva de que há uma bolha aqui, mas existe indicação de que algo acontece. De fato, não sei se há bolha no Brasil, mas suspeito que sim", essa é a declaração de um economista americano que se tornou um prêmio Nobel. Não sei quanto a teoria do achismo, conjunto de chutes hipotéticos sobre qualquer assunto, científico ou não, sem consistência nem provas, pesa na vida das pessoas, mas valer um prêmio Nobel, é demais. 

No Brasil, esse país superlativo, tudo é estranho. Pagamos preços absurdos de caro por produtos que lá fora custam nada. E apartamentos violam a regra do bom senso. E tudo é normal.

Uma pesquisa do sindicato das construtoras aqui da região constatou, óbvio, que os clientes procuram por apartamentos pequenos com infraestrutura de lazer. Muito bem, chamam salão de festas de espaço gourmet, um balde de piscina e o parquinho (com um escorrega e um balanço) de área de lazer infantil. E o cliente idiota engole sem cuspir essa barbaridade.

Vejo apartamentos com espaços ridículos sendo vendidos a preços extorsivos. Mas aqui é o Brasil e o governo abre as comportas de crédito ao infinito e além. 

Isso sim é bolha. E não preciso ser um prêmio Nobel para dizer isso.

Copyright 2010 Jus Indignatus por Ricardo Rayol*template e layout layla*
Clicky Web Analytics