quarta-feira, junho 19, 2013

A classe política está tonta. Como não há lideranças não tem ninguém que não possam comprar ou arregar em algum cargo comissionado. Diulma faz de conta que não é com ela. "Se colou com o Lula na época do mensalão, por que não colaria com ela se fazer de desentendida?", comentou em off um aspone palaciano.

Em 8 anos de indignação explícita é prazeroso acompanhar uma movimentação desta envergadura. Aprendi que a conta não deve ser colocada na mesa do PT, somente. Todos os políticos brasileiros são uns filhos da puta. Porém, temos que fazer justissia: O Lula conseguiu levar ao limite o adágio "venha a nós e ao vosso reino nada". Os arranjos que permitiram uma tal de governabilidade (nunca antes vista nesse país) trouxeram o lulo-petismo para o mesmo nível das outras correntes políticas, isto é, abaixo da fossa sanitária. O mensalão, que existiu, evidenciou esse desvio e as tentativas de agradar a todos só conseguiram colocar o governo como refém de um bando de sanguessugas. E abriram brechas para que ineptos tomassem conta de cadeiras fundamentais para o desenvolvimento do Brasil.

Cabe agora ao movimento mudar as coisas, mas sem lideranças será difícil uma articulação nacional permanente. Não há porque exigir o impeachment da diulma, mesmo que ela, ao invés de se reunir com as autoridades municipais e estaduais e não com o lula e um marqueteiro, tenha contribuído para os desvios de ação na condução do governo. Seria melhor mesmo humilhar a todos os políticos.

Não se trata mais de 20 cents. Mas também não vi ninguém pedindo cadeia para os mensaleiros julgados e condenados. O que é uma pena.

Copyright 2010 Jus Indignatus por Ricardo Rayol*template e layout layla*
Clicky Web Analytics