quarta-feira, julho 11, 2012

"Demóstenes era o 'mais competente político que havia no Senado. Se alguém acha que o Parlamento sai maior, discordo. Eu ponho o chapéu. Fica, para o Parlamento, mais que uma ferida. Foi um dia de constrangimento'", Jorge Viana (PT-AC). Meu comentário: Competente em quê? Em iludir? Em conseguir ser tão próximo do cachoeira? O constrangimento é porque ele foi pego?


 "A defesa dele foi brilhante. Só que nós analisamos o decoro parlamentar e aí ficou provado que ele agiu por muito tempo a mando do Carlos Cachoeira", Pedro Simon (PMDB-RS). Meu comentárioO que porra ele quis dizer? Ou o defensor defendeu ou não. Se perdeu não foi brilhante, foi incompetente.


"Ele foi julgado também pelo seu comportamento ao lado de um líder de uma organização criminosa", Randolfe Rodrigues (PSOL-AP). Meu comentárioleia-se: nós, os outros $enadore$, atuamos por trás, nunca ao lado.


"É uma coisa triste. Tenho certeza de que 50% dos que votaram pela cassação o fizeram com dor no coração", Valdir Raupp (PMDB-RO). Meu comentário: Tenho certeza que 100% estavam pensando no efeito Orloff. E vamos combinar, 5 se abstiveram. Mesmo o voto sendo secreto.


"O Senado votou pela preservação da instituição e também 'pelos indícios fortes da ligação incontestável  (de Demóstenes com Carlos Cachoeira)'", Aécio Neves (PSDB-MG). Meu comentário: Notar o que foi dito entre parenteses. Na verdade ainda não apareceram as ligações do contraventor com os outros 80 $enadore$ restantes.


O que mais chama a atenção é que o suplente é ex-marido da atual mulher de cachoeira. Um baita menáge se desenha no horizonte longínquo do país das maravilhas.



Copyright 2010 Jus Indignatus por Ricardo Rayol*template e layout layla*
Clicky Web Analytics