quarta-feira, junho 20, 2012


Já era suficientemente ruim que o PT, leia-se Lula, se abraçasse com $arney e collor em prol de uma tal “governabilidade”, leia-se “peloamordedeus salvem-me do mensalão”.

Mas, sem mostrar um mínimo de decência, se abraçar com maluf é se afundar na lama do fundo do poço. Ou então, como li por aí, passar atestado.

 lula, em sua santa "ignorância", foi mostrar sua subserviência ao patrão, com muita humildade.

terça-feira, junho 19, 2012

Em curtas e poucas palavras... Já é suficientemente ruim nossos políticos serem de baixa extração e preocupados única e exclusivamente em encher o rabo de dinheiro.

Mas quando se aliam com maluf, demonstram que querem muito um doutorado na matéria.

O pior é ver o PSDB, leia-se serra,  esperneando porque o PT passou a perna e se abraçou com o aliado.

Triste país que tem maluf como pêndulo na balança.

PQP.

segunda-feira, junho 18, 2012

A capacidade do ser humano em produzir bobagens beira a histeria coletiva. Centenas de pessoas marcharam em São Paulo pelo direito, entre outras coisas, de se parir em casa.

Por mim podem parir onde quiserem. Mas, e é um grande mas, não se pensa na razão de levar a gestante a parir em um hospital. O que é mais simples, juntando todas as parturientes num único e agradável ambiente de saúde pública ou privada. "Ah, mas lá não posso parir meu filho em uma banheira", exclamaria indignada uma adepta do parto na água. "Tá, e daí?" responderia eu com meus botões. Não conheço ninguém que tenha sido parido por meios "naturebas" mas tenho certeza que isso não fez a menor diferença.

O que essas manifestantes engajadas esquecem que filho tem que ser criado com amor e dedicação, se foi parido em pé, deitado ou de cabeça para baixo que se dane. Depois não adianta espernear porque uma picareta xamânica fez uma bela cagada e seu rebento morreu em casa. Ou que tiveram que correr para o hospital.
 
Em tempo: Acho que cesárea é usada indiscriminadamente. Não por ser mais fácil como citam alguns, mas por ser mais lucrativo.

quinta-feira, junho 14, 2012

Semana passada, no dia 07 de junho, iniciou-se o 7º ano de existência desse ermo recanto de indignação, deboche e escárnio.

Entra ano e sai ano a política nacional se recria, mostrando ao grande público sua capacidade ímpar de renovação em golpes, picaretagens e putarias com o erário. Apesar de distante e ressabiado ainda terei muita munição para publicar por aqui.

Vida longa ao Jus Indignatus.

sexta-feira, junho 01, 2012


“A sua liberdade de protestar, espernear e dar o rabo acaba quando começa o meu direito de te processar, justa ou injustamente, não importa quais sejam suas reivindicações, legais ou não”, citação húngaro-céltica.

“Tu tens a tua religião, eu tenho a minha”, provérbio árabe.

“Em igualdades de condições uma vadia vai mais longe que um vadio”, Einstein.



Li, intrigado, a polêmica ao redor de uma tal “marcha das vadias”, ilustrada por uma imagem horrorosa e de mau gosto de uma sujeita com os peitos batendo no umbigo. Se entendi bem elas protestavam contra a violência sofrida pelas mulheres (imagino eu, da vida) e pela liberdade de fazer o que bem entender com o corpo. Até aí não vi nada demais. O que me surpreendeu foi a tara com que algumas das manifestantes invadiu uma igreja. Pergunto: Por que caraleos invadiram uma igreja? A Igreja católica, como muitas religiões se não sua totalidade, condenam, de alguma forma, o aborto. Se você é praticante de alguma religião e decide abortar, ou fazer o que quiser que vá contra as leis de sua igreja, é uma decisão de foro íntimo. O tal livre arbítrio. Depois se entendam com o altíssimo. Agora invadir, com as peitucinhas balouçantes, uma missa para "marcar posição" é de uma idiotice sem tamanho, bem fez a PM que despejou litros de pimenta. 

O que é de deixar indignado é que estas mesmas pessoas que fazem esse escarcéu, marchando ou atirando pedras, não mexem uma palha contra a corrupção e assistem, impávidos colossos, a marcha daqueles vadios que habitam a pocilga nacional e se arvoram de repre$entante$ do povo.


Copyright 2010 Jus Indignatus por Ricardo Rayol*template e layout layla*
Clicky Web Analytics