terça-feira, dezembro 04, 2012

Gostaria eu de ter lido tantas e ácidas críticas, como as que estão sendo derramadas sobre o tal "best-seller" "50 tons de cinza", quando a Bruna Putistinha publicou seu manual profissionalizante. Chamá-la de escritora e aquela baboseira de livro é um insulto a tantos desta bela arte. A de escrever não a de trepar, é claro.

lula pode comer quem ele quiser, problema de foro íntimo dele e da dona marisa. Mas o que não está certo é colocá-la, a amásia não a esposa, em um cargo pago com o seu, o meu, o nosso imposto e fingir que a sujeita não está se valendo do relacionamento para se dar bem. Aliás, tenho quase certeza que tudo foi de caso pensado, virar amante, trair o marido etc e tal. Essa desculpa do "não sabia" não cola, pois tenham certeza que se dona marisa sabia, se a imprensa sabia, se seus inimigos sabiam, ele também sabe.

Ouvindo a CBN, a rádio que toca notícia, agora pela manhã tive o desprazer de acompanhar uma entrevista com um professor da USP (eu acho) de Gestão da Coisa Pública. O pernosticismo do sujeito bateu recordes. Sem contar que o tema, óbvio, era a corrupção. E, obviamente, ele disse o óbvio: que o problema é cultural e que o povo precisa apoiar o combate a corrupção. VTNC.

(imagem chupinhada do meu brother)






Copyright 2010 Jus Indignatus por Ricardo Rayol*template e layout layla*
Clicky Web Analytics