sexta-feira, dezembro 14, 2012


Há mais semelhanças entre Inácios do que supõem nossa vã filosofia.

O Santo Inácio católico, o Loyola, foi injustamente acusado pela inquisição, se desdobrando em provar sua inocência e blindado por seus seguidores e apoiado pelo Papa da época. Antes iletrado, se alfabetizou e iniciou-se nos mistérios dos livros. Depois de algumas andança juntaram-se a ele três companheiros, que anos depois se tornaram seis e então veio a fundação da Companhia de Jesus. A vida do Inácio católico sempre foi cercada de suspeitas. Sua aparência andrajosa deixava-o sob suspeição sendo inclusive preso por algum tempo.
Foi de suam importância durante a Reforma Católica que, entre outras medidas bacanas , promoveu a retomada do Tribunal do Santo Ofício (inquisição), a criação do Index Librorum Prohibitorum (relação de livros proibidos pela Igreja) e o incentivo à catequese dos povos do Novo Mundo, pacificamente por certo.

Já o Inácio brasileiro, gentilmente apelidado de “Santo Inácio do Não Sei de Nada”, nunca sabe de coisa alguma e se sente apedrejado, injustiçado e martirizado. Seus companheiros são uns ingratos que não perdem a oportunidade de apunhala-lo pelas costas. Mesmo assim é blindado pela camarilha de puxa-sacos e pelos fiéis seguidores de suas doutrinas dúbias e sem sentido. E também pela Papisa.

Viva o Brasil.

terça-feira, dezembro 04, 2012

Gostaria eu de ter lido tantas e ácidas críticas, como as que estão sendo derramadas sobre o tal "best-seller" "50 tons de cinza", quando a Bruna Putistinha publicou seu manual profissionalizante. Chamá-la de escritora e aquela baboseira de livro é um insulto a tantos desta bela arte. A de escrever não a de trepar, é claro.

lula pode comer quem ele quiser, problema de foro íntimo dele e da dona marisa. Mas o que não está certo é colocá-la, a amásia não a esposa, em um cargo pago com o seu, o meu, o nosso imposto e fingir que a sujeita não está se valendo do relacionamento para se dar bem. Aliás, tenho quase certeza que tudo foi de caso pensado, virar amante, trair o marido etc e tal. Essa desculpa do "não sabia" não cola, pois tenham certeza que se dona marisa sabia, se a imprensa sabia, se seus inimigos sabiam, ele também sabe.

Ouvindo a CBN, a rádio que toca notícia, agora pela manhã tive o desprazer de acompanhar uma entrevista com um professor da USP (eu acho) de Gestão da Coisa Pública. O pernosticismo do sujeito bateu recordes. Sem contar que o tema, óbvio, era a corrupção. E, obviamente, ele disse o óbvio: que o problema é cultural e que o povo precisa apoiar o combate a corrupção. VTNC.

(imagem chupinhada do meu brother)






quarta-feira, novembro 14, 2012

Que os políticos brasileiros são experts, PHD's e magos supremos em desvio de dinheiro público (exceto, é claro, os do PT) é notório. O outro lado da moeda é capacidade ímpar de proferir bobagens e produzirem projetos relevantes para o Brasil.

Dois exemplos me acertaram os ouvidos. No primeiro um nobre repre$entante do povo discorria sobre as vantagens do projeto de lei aprovado, obrigando os comerciantes e afins a destacarem, em suas notas fiscais ,os impostos pagos pelo cidadão incauto e que se servem de produtos e serviços em Terra Brasilis. Tudo bem que todos queremos ter uma ideia de quanto vai para o ralo, mas exemplificar esse projeto com o imposto recolhido pela cachaça foi muito suspeito.

Outro exemplo, durante declaração do nobre José Stédile, se destacou pela incoerência e pela falta de bom senso. A declaração dizia respeito ao pleito de usuários de transportes coletivos contra os preços abusivos das passagens. Pasmem, meu amigo, minha amiga, os preços são altos porque não se tem passageiros. E não se tem passageiros porque o custo da passagem é alto.

Em resumo. VTNC.

terça-feira, novembro 13, 2012

Todos que acompanharam o julgamento do mensalão temiam que acabasse em pizza. Acabar em pizza significa que os réus não fossem considerados culpados ou, obviamente, são inocentes.

Então entrou o afro-paladino da justissia e carcou fogo cerrado sobre todos os réus, inocentando uns poucos mas amealhando, nas tarrafas da lei, os peixes grandes. Seguido pela maioria de seus pares parecia que a pizza estaria descartada. Repito, parecia.

Mas se olharmos com vagar e isenção de paixões notaremos que todo o processo foi armado para parecer contundente e severo. Mas o ministério público cometeu falhas gritantes, como por exemplo não impedir que Dias Toffoli se mantivesse na liça. Outro ponto, os supremos juízes discutiram interminavelmente sobre quem tinha o pau maior, as digníssimas ministras inclusive, e "aceitaram" fatiar o processo em núcleos.

Mas aonde quero chegar? O que resultou? Bom, fatiando em núcleos possibilitou que os juízes queimassem nas fogueiras legais o baixo clero político, os aspones e empresários ávidos mas incautos. Os tubarões foram condenados, por certo, mas não por unanimidade, o que abriu a brecha para que seus advogados do diabo interponham os tais embargos parasitórios. Então, por exemplo, Dirceu poderia ter a pena reduzida para menos de 8 anos, o que lhe permitiria cumprir a pena, salvo decisão contrária, em regime semiaberto. Considerando que não existem albergues para apenados e as colônias agrícolas e afins estão super-lotadas então iria cumprir em casa, e somente A PARTIR do julgamento do recurso, daqui uns 8 ou mais anos, quando Dirceu e sua camarilha já estariam mortos.

O que é bizarro é que uma decisão do STF, órgão máximo da justissia brasileña, não é definitiva. Não é legal nosso sistema legal?

terça-feira, outubro 16, 2012

Faleceu Fidel Castro, ou não, não há confirmações nem desmentidos. De qualquer forma é um momento de pesar para todos os povos democráticos e nacionais-socialistas do mundo. Castro, o Fidel, era um prócer dos direitos humanos e civis. Um marco da democracia mundial. Uma personalidade ímpar e inquebrantável da política internacional. Benfeitor de um povo explorado e sofrido. Farol para luminares da política bolivariana e latrino-americana.

Em sua homenagem escrevo, com a tinta vermelha do bolivarianismo, uma breve cronologia dos principais eventos do governo de Fidel.

1º de janeiro de 1959: O ditador e dublê de mafioso, Fulgêncio Batista, esse verme energúmeno, deixa Cuba e revolucionários, liderados por Fidel Castro, tomam o poder. Castro faz questão de mostrar que "a tomada do poder foi pacífica e de acordo com os anseios do povo". "No tendrá el castigo, ejecuciones por la leña-escuadrilla y ni revanchismo", disse exultante o comandante.

Junho de 1960: Cuba nacionaliza refinarias de petróleo norte-americanas por que estas se recusam a refinar petróleo soviético. “Una denegación inexplicable e inaceptable”, disse perplexo o comandante à época.

16 de abril de 1961: Quase dois anos depois, devido à burocrática burocracia governamental cubana, criada aos moldes da extinta URSS, Castro declara Cuba um Estado Socialista. "A pesar de los beneficios en el registro de nuestro modelo del estado, causado para la burocracia natural sucedió con nuestro cambio del gobierno, ahora él está todo legalizado", exclamou impávido "el comandante".

22 de janeiro de 1962: Cuba é suspensa da OEA (Organização dos Estados Americanos). Fidel reage pedindo uma revolta armada em toda a América Latrina. Esse pedido foi ouvido em um determinado país sul-americano e deu no que deu.

14 de outubro de 1962: Cuba entra no cenário mundial ao enfrentar, galhardamente, os imperialistas estadunidenses ao permitir que mísseis nucleares soviéticos fossem baseados nos lindos campos cubanos. "Hay que endurecer, pero perder la ternura sólo si hay una guerra nuclear", teria declarado o grande comandante, frase esta que foi adaptada e divulgada ao redor do mundo.

15 de outubro de 1962: "El ejército somos nosotros", lema do novo exército que se preparou contra uma invasão e que contratou, por orientação do grande líder Castro, o Fidel, ex-nazistas para treinarem as hostes cubanas nas mais modernas técnicas de extração de informação. Um marco na democracia desenvolvida na ilha.

Março de 1968: É criada a holding “El grand compañero” que administra todos os negócios privados do país, retendo todos os lucros e financiando seus custos com impostos. Esse modelo não afeta as pequenas propriedades agrícolas.

Abril de 1980: Para estimular as exportações cubanas o governo declara que cubanos podem deixar o país. Começa a crise de refugiados. Cerca de 125 mil pessoas abandonarão Cuba até setembro de 1980. Economia cubana dá um salto histórico graças a essa manobra brilhante. “No podemos dejar a ciudadanos privados del mundo entero del sabor del cigarro cubano”, sorriu o comandante.

Dezembro de 1991: Colapso da União Soviética acaba com ajuda à Cuba, cuja economia cai 35% até 1994. “Qué él importa son los otros 65%”, deu de ombros o comandante.

Agosto de 1994: Em mais uma manobra econômica brilhante, Castro declara que não vai impedir saída de cubanos que tentam deixar o seu amado país. Cerca de 40 mil pessoas se dirigem aos EUA por mar, impulsionando a indústria naval cubana. Economia cresce 87,55%.

Outubro de 1997: Partido Comunista de Cuba realiza 50º Congresso (apesar de existir a apenas 38 anos). Para evitar constrangimentos para o povo, na hora de dizer o nome de seu líder, Castro reafirma seu irmão mais novo, Castro, como sucessor. Grande marco no processo democrático cubano e exemplo para diversos países, sobretudo latrino-americanos.

Janeiro de 1998: Papa João Paulo 2º visita Cuba. “La iglesia y el comunismo tienen todo a ver”, constritou-se o grande timoneiro caribenho.

16 de dezembro de 2001: Embarcações de milho e frango congelado chegam ao porto de Cuba, representando as primeiras vendas diretas de comida norte-americana ao país em quase 40 anos. Em contra-partida Cuba faz a primeira exportação de, de, "ah sei lá algo de mucho valor para el americano medio", informou o comandante.

6 de março de 2003: Parlamento cubano elege Castro para seu sexto mandato de cinco anos como presidente do Conselho de Estado, órgão supremo do governo cubano. Recorde absoluto nos governos democráticos. “Una más vez me llaman. Mi gobierno continuará estando para el pueblo, para el pueblo y con el pueblo”, rejubilou-se o comandante.

18 de março de 2003: Governo cubano anuncia medidas contra dissidentes acusados de trabalhar com oficiais norte-americanos para minar o sistema socialista. “No importa que la Soviet-unio'n haya caído de maduro y para la obsolescencia y que perdí a mi solamente socio comercial en el mundo”, rugiu o comandante à época.

2 de fevereiro de 2005: Castro chama o presidente norte-americano, George W. Bush, de "perturbado", em resposta à declaração dos EUA de que Cuba seria um berço de tirania. “Él es el un discurso desigual de el desigual”, afirmou o comandante.

15 de junho de 2006: Castro diz que o Partido Comunista permanecerá no controle de Cuba em caso de mudança de líder. “No afirmé esto”, afirmou o comandante Castro.

31 de junho de 2006: Castro cede temporariamente poderes a Castro para passar por uma cirurgia gastrointestinal. A cirurgia é bem-sucedida mas a recuperação é lenta e dolorosa. Médico espanhol é chamado às pressas para examinar, com isenção, o comandante. Ao término profere uma frase enigmática: "El comandante no tiene cancro".

14 de outubro de 2007: Castro aparece pela primeira vez, ao vivo, depois de longos meses de convalescença, em programa de TV de seu filho venezuelano, o pequeno Fidel. Suas únicas e enigmáticas palavras são "Я не имею рак".

21 de outubro de 2007: Castro, o Fidel, reaparece durantes as eleições. Votou e declarou que "soy las elecciones de Cuba". Aos 81 anos ainda apresenta o vigor e punjança de um adolescente.

17 de dezembro de 2007: Pela primeira vez Castro, o Fidel, admite que existe uma possibilidade ínfima de se afastar do poder em Cuba. "Muchos países necesitan mi dirección", disse impávido colosso em transmissão ao vivo pela TV.

16 de janeiro de 2008: Castro, o Fidel, admite que não tem mais condições de discursar em público. "Mis discursos son generalmente cortos. No tendría qué a decir sobre menos de 5 horas. La comprensión de mis palabras en tan poca hora sería imposible", lamentou desconsolado.

30 de janeiro de 2008: Apesar de estar há um ano e meio longe do seu amado público Castro, o Fidel, foi reeleito para o parlamento cubano com 98,2% dos votos válidos em seu distrito de origem. Mas Castro, o Raul, foi melhor, 99,3%. "Nosostros somos felices", comemorou.

18 de fevereiro de 2008: Após muito relutar, Castro, o Fidel, renunciou ao cargo máximo do poder cubano em favor de seu irmão. Em um simples discurso de 3 horas e meia concluiu: "El tiempo pasa, el tiempo vuela y el ahorro del fidel continúa en buen termo".

Agosto de 2010: Castro, o Raúl, com a concordância de Fidel, permite que os cubanos tenham atividades econômicas, liberando uma lista com mais de 178 atividades. A indústria de carroças cresce 345,64%. "Debemos desarrollar las actividades económicas que aportan riqueza a nuestra ciudadanos socialistas", declarou Castro, o Fidel, em pronunciamento de 8 horas. Um recorde.

18 de abril de 2011: Fidel renuncia, mais uma vez, ao comando do barco bolivariano em Cuba. Em pronunciamento curto, de 5 horas, declarou: "Santo Tomé negó a Jesús Cristo tres veces. Sólo estoy en mi segunda vez."

16 de outubro de 2012: Fidel é anunciado morto. "Rei muerto, Rei puesto!!!", bradaram seus seguidores fiéis. Mas não há confirmações, apenas boatos, um dos quais diz que ele teria morte cerebral. Mas não há desmentidos, nem uma aparição pública para um rápido pronunciamento de 3 horas. O indício mais forte vem da própria Cuba. Com a falta de materiais para construção de barcos exóticos, devido ao embargo assassino das autoridades mundiais, o governo cubano Castrista, pois não há outro, liberou que seus cidadãos possam viajar ao exterior sem necessidade de vistos e autorizações. "Si los enemigos del Estado democrático de derecho quieren abandonar el país debe hacer a su costa no del pueblo cubano", vociferou, apoplético, uma autoridade aduaneira.

01 de janeiro de 2597: Morre Castro, o Fidel, depois de longa agonia. Castro, o Raúl, finalmente assume o governo, agora em definitivo. Na América Latrina, Hugo "O Pequeno Fidel" Chávez XXIII incorpora o espírito do avançado ídolo e pai falecido.

Uma homenagem de Glênio Gangorra, dos Jegues Vermelhos.

quarta-feira, outubro 10, 2012

Há pouco mais de 7 anos começava um dos mais escabrosos escândalos políticos já registrados no Brasil. Não que a prática fosse nova. Não era, tinha o DNA das oligarquias que imperavam no país há séculos. Mas por quê raios dos infernos logo dessa vez dera errado. Simples, soberba somada com inépcia. Neófitos no desvio de dinheiro público a camarilha petista, eleita democraticamente, se vira no direito divino e absoluto de meter a mão. "Todo mundo roubou por que não eu?", declaravam em alto e bom som.

Começou então uma guerra, onde a petezada crédula apontava o dedo para quem não concordava com seus delírios e não aceitavam o São Lula como salvador. Durou 7 anos, terminou hoje.

Agora a camarilha, que se locupletou e se fodeu de verde, amarelo, azul e branco, esperneia. É um direito deles.

Mas não esqueçam cambada de filhos da puta, filhos dos outros filhos da puta que vos criaram, que a maioria esmagadora dos supremos juízes foram indicados por seu deus de barro. Tirando o tofolli, um pobre coitado, todos tiveram a decência de fazer o que os seus patronos fizeram quando aboletados no poder: Agora que estou aqui, fodam-se!!

Esta é uma pequena homenagem a tantos que combateram a boa luta.

segunda-feira, setembro 17, 2012

Como todo cidadão do bem abomino políticos e politicagens. Porém, todavia, não me furto em analisar, do meu jeito, o cenário deste zoológico que é a política venal brasileira. Vamos aos fatos. Todo político ou é ou será venal, pilantra ou omisso. Ou tudo junto. A briga entre partidos não é, nem de perto, ideológica. É apenas uma disputa de quanto do orçamento cada lado leva.

Daí vem o mensalão, mensaleiros e outros bichos. A tradicional oligarquia política, apeada do poder pela petezada, luta bravamente para soterrar as aspirações da plebe ignara. As pilantragens, daqueles que eram os principais acusadores da prática enquanto oposição, são tão bizarras e amadoras que trazem vergonha aos picaretas quatrocentões. Mas eles lutam não pela ética e moralidade, aliás ouvi essa do Gean Loureiro candidato pelo PMDB aqui em Floripa e quase me mijei de tanto rir, e sim para retomar à glória das falcatruas nababescas. Mas isso só não aconteceu ainda porque uma boa parte dessa oligarquia abriu os braços para os corruptos neófitos. A sustentação do que foi o governo Lula se deu apenas porque Collor, $arney e outros caciques entenderam que ali estava, com a sua eleição, uma oportunidade ímpar. Tão ímpar que deu no que deu.

E agora chumbo grosso neles. Jornais, jornalistas e jornaleiros desfiam as teorias da conspiração. Valério tem ou não tem provas? Ele falará ou não? Vai morrer?

Mas meus amigos e amigas, não se iludam, isso tudo é apenas jogo de cena. O que importa é o cala a boca que vai rolar. Os mesmos continuam mandando e mamando. E continuarão, até o fim dos tempos. Com ou sem Lula.

Triste do Brasil.


sábado, setembro 15, 2012

No Brasil se atribui muito rápido epítetos desconexos a figuras suspeitas. Culpa extrema de uma tal mídia, mentecapta, que ganha para tal. Por exemplo, paulo caolho, o que é sem nunca ter sido, a quem chamam de mago. Como disse aqui algumas vezes, a única mágica que ele fez foi transformar lixo em ouro e chamar de literatura. Mas tudo bem, o dinheiro é dos incautos não meu. Recentemente se arvorou como o maior intelectual do Brasil. Intelectual é um ser pensante, logo, deduzo eu, um pensador. Se pensar merda é sinal de sabedoria e intelectualidade eu seria então o mestre do universo.

Outra que foi guindada a intelectual foi a bruna putistinha. Me abstenho de agregar os devidos comentários.

Mas o tema central são as musas. Na mitologia grega eram entidades a quem eram atribuídas a capacidade de inspirar a criação artística ou científica. No Brasil virou zona. Começando pelo Plano Cruzado, de triste memória, cuja musa era a Maria da Conceição Tavares. Com todo o respeito, musa? Credo. Nos tempos recentes tivemos uma disputa para musa do mensalão, entre uma sujeita horrenda, funcionária de alguém que não me lembro, e a horrorosa deputada da dança da pizza. Obviamente que a carteirada funcionou e a repre$entante do povo levou a melhor.

Então começaram as musas para todos os eventos. CPI's, eventos esportivos e o escambau. E o que parece é que os deuses olímpicos meteram o dedo e, pelo menos, o nível melhorou. Um exemplo bem marcante é uma tal andressa urach, que por ter ido no UFC de Las Vegas e a Londres, virou musa da olimpíada. Talvez inebriada pelo "cargo" e por estar competindo no nobre evento Miss Bumbum 2012, ela se dá ao direito de despejar suas fotos íntimas, pelada ou não, para inspirar cientifica e artisticamente os onanistas de plantão.

Em resumo, no Brasil nada é sério e tudo acaba em putaria.

Em tempo: Pelo que vi da capa da Veja desta semana vem chumbo grosso por aí. Ou os petistas acharam que o Marcos Valério ia entubar sem gritar?

quinta-feira, agosto 09, 2012

Em tempos olímpicos, nada mais adequado do que tecer comentários escabrosos a respeito dos recordes de nossas operadoras de telefonia.

A ANAteL, num arroubo de macheza, proibiu a TIM, Oi e Claro de venderem planos, rateando o Brasil pelo ranking de reclamações (imagino eu). Disparada na frente, a TIM conquistou a láurea de ficar sem vendas em 18 estados mais o Distrito Federal. Mas isso não é novidade. Como também não é novidade que para voltarem a operar estas empresas deveriam apresentar planos de adequação.

Muito bem, a TIM, para manter a liderança, apresentou um documento com 800 páginas, nem imagino o tamanho dos calhamaços apresentados pelas outras duas mas, digamos, vou chutar algo por volta de 210 e 126 páginas, respectivamente.  E em 15 dias os burocráticos aspones da ANAteL conseguiram digerir e entender mais de 1.000 páginas! Um recorde! Brasil-sil-sil!

Cabe saber, por exemplo, como elas irão adequar a cobertura, considerando as leis municipais e estaduais que impedem que ERB's sejam instaladas perto de escolas. Ou ainda, de onde virão os recursos, pois a Itália está numa merda federal. E mais, em que prazo?

Não vi respostas a estas perguntas e a palavra do presidente, daquele cabide de empregos, vale tanto quanto uma nota de R$ 3,00 para mim.

Em tempo: Se a TIM derruba ou não as chamadas dos planos Infinity pré-pago eu não sei. Mas que é muito suspeito isso é.

quarta-feira, julho 11, 2012

"Demóstenes era o 'mais competente político que havia no Senado. Se alguém acha que o Parlamento sai maior, discordo. Eu ponho o chapéu. Fica, para o Parlamento, mais que uma ferida. Foi um dia de constrangimento'", Jorge Viana (PT-AC). Meu comentário: Competente em quê? Em iludir? Em conseguir ser tão próximo do cachoeira? O constrangimento é porque ele foi pego?


 "A defesa dele foi brilhante. Só que nós analisamos o decoro parlamentar e aí ficou provado que ele agiu por muito tempo a mando do Carlos Cachoeira", Pedro Simon (PMDB-RS). Meu comentárioO que porra ele quis dizer? Ou o defensor defendeu ou não. Se perdeu não foi brilhante, foi incompetente.


"Ele foi julgado também pelo seu comportamento ao lado de um líder de uma organização criminosa", Randolfe Rodrigues (PSOL-AP). Meu comentárioleia-se: nós, os outros $enadore$, atuamos por trás, nunca ao lado.


"É uma coisa triste. Tenho certeza de que 50% dos que votaram pela cassação o fizeram com dor no coração", Valdir Raupp (PMDB-RO). Meu comentário: Tenho certeza que 100% estavam pensando no efeito Orloff. E vamos combinar, 5 se abstiveram. Mesmo o voto sendo secreto.


"O Senado votou pela preservação da instituição e também 'pelos indícios fortes da ligação incontestável  (de Demóstenes com Carlos Cachoeira)'", Aécio Neves (PSDB-MG). Meu comentário: Notar o que foi dito entre parenteses. Na verdade ainda não apareceram as ligações do contraventor com os outros 80 $enadore$ restantes.


O que mais chama a atenção é que o suplente é ex-marido da atual mulher de cachoeira. Um baita menáge se desenha no horizonte longínquo do país das maravilhas.



quarta-feira, junho 20, 2012


Já era suficientemente ruim que o PT, leia-se Lula, se abraçasse com $arney e collor em prol de uma tal “governabilidade”, leia-se “peloamordedeus salvem-me do mensalão”.

Mas, sem mostrar um mínimo de decência, se abraçar com maluf é se afundar na lama do fundo do poço. Ou então, como li por aí, passar atestado.

 lula, em sua santa "ignorância", foi mostrar sua subserviência ao patrão, com muita humildade.

terça-feira, junho 19, 2012

Em curtas e poucas palavras... Já é suficientemente ruim nossos políticos serem de baixa extração e preocupados única e exclusivamente em encher o rabo de dinheiro.

Mas quando se aliam com maluf, demonstram que querem muito um doutorado na matéria.

O pior é ver o PSDB, leia-se serra,  esperneando porque o PT passou a perna e se abraçou com o aliado.

Triste país que tem maluf como pêndulo na balança.

PQP.

segunda-feira, junho 18, 2012

A capacidade do ser humano em produzir bobagens beira a histeria coletiva. Centenas de pessoas marcharam em São Paulo pelo direito, entre outras coisas, de se parir em casa.

Por mim podem parir onde quiserem. Mas, e é um grande mas, não se pensa na razão de levar a gestante a parir em um hospital. O que é mais simples, juntando todas as parturientes num único e agradável ambiente de saúde pública ou privada. "Ah, mas lá não posso parir meu filho em uma banheira", exclamaria indignada uma adepta do parto na água. "Tá, e daí?" responderia eu com meus botões. Não conheço ninguém que tenha sido parido por meios "naturebas" mas tenho certeza que isso não fez a menor diferença.

O que essas manifestantes engajadas esquecem que filho tem que ser criado com amor e dedicação, se foi parido em pé, deitado ou de cabeça para baixo que se dane. Depois não adianta espernear porque uma picareta xamânica fez uma bela cagada e seu rebento morreu em casa. Ou que tiveram que correr para o hospital.
 
Em tempo: Acho que cesárea é usada indiscriminadamente. Não por ser mais fácil como citam alguns, mas por ser mais lucrativo.

quinta-feira, junho 14, 2012

Semana passada, no dia 07 de junho, iniciou-se o 7º ano de existência desse ermo recanto de indignação, deboche e escárnio.

Entra ano e sai ano a política nacional se recria, mostrando ao grande público sua capacidade ímpar de renovação em golpes, picaretagens e putarias com o erário. Apesar de distante e ressabiado ainda terei muita munição para publicar por aqui.

Vida longa ao Jus Indignatus.

sexta-feira, junho 01, 2012


“A sua liberdade de protestar, espernear e dar o rabo acaba quando começa o meu direito de te processar, justa ou injustamente, não importa quais sejam suas reivindicações, legais ou não”, citação húngaro-céltica.

“Tu tens a tua religião, eu tenho a minha”, provérbio árabe.

“Em igualdades de condições uma vadia vai mais longe que um vadio”, Einstein.



Li, intrigado, a polêmica ao redor de uma tal “marcha das vadias”, ilustrada por uma imagem horrorosa e de mau gosto de uma sujeita com os peitos batendo no umbigo. Se entendi bem elas protestavam contra a violência sofrida pelas mulheres (imagino eu, da vida) e pela liberdade de fazer o que bem entender com o corpo. Até aí não vi nada demais. O que me surpreendeu foi a tara com que algumas das manifestantes invadiu uma igreja. Pergunto: Por que caraleos invadiram uma igreja? A Igreja católica, como muitas religiões se não sua totalidade, condenam, de alguma forma, o aborto. Se você é praticante de alguma religião e decide abortar, ou fazer o que quiser que vá contra as leis de sua igreja, é uma decisão de foro íntimo. O tal livre arbítrio. Depois se entendam com o altíssimo. Agora invadir, com as peitucinhas balouçantes, uma missa para "marcar posição" é de uma idiotice sem tamanho, bem fez a PM que despejou litros de pimenta. 

O que é de deixar indignado é que estas mesmas pessoas que fazem esse escarcéu, marchando ou atirando pedras, não mexem uma palha contra a corrupção e assistem, impávidos colossos, a marcha daqueles vadios que habitam a pocilga nacional e se arvoram de repre$entante$ do povo.


quinta-feira, maio 03, 2012

Estava relutando em escrever sobre mais uma CPIzza. Mas vamos lá.

Era uma vez um Brasil cheio de políticos. Corruptos, imorais, parvos, uns picaretas em resumo. Surgiu então, lá no fim do cano de esgoto, uma luz, e essa luz se chamava Demóstenes. Socialites ensandecidas e molhadinhas levantaram, em punho, o mastro rígido do pavilhão desse, considerado então, paladino da moral e dos bons costumes.

Ledo engano. Não se sabe a mando de quem, porquê ou de que maneira, e saibam, meu caro leitor, minha ávida leitora, que nada no Brasil político é por acaso, destamparam a panela e entornaram o caldo de um dos maiores esquemas de corrupção desde os tempos do mensalão. E bem no meio deste baita esquemão está, supostamente, por suposto, o tal paladino da justissia.

Na esteira das denúncias, empreiteiros, governadores, aspones, dePUTadOS, $enadore$, a corja toda. E daí vem a tal CPI. Na rádio que toca notícia ouvi uma entrevista do Miro Teixeira, indigando, dizendo que agora seria diferente, não ficaria pedra sobre pedra, e que inclusive a CPI estava começando no sentido contrário do que normalmente acontecem.

Ouvindo as notícias de hoje, que governadores flagrados em escutas e o próprio Demóstenes não serão chamados a depor, realmente Miro tinha razão, a CPI começou pela pizza.

quinta-feira, abril 26, 2012



"Se cabelo fosse importante não nasceria em locais obscuros", dito popular. 
"Vaidade, tudo é vaidade", palavras do Eclesiastes.

O Brasil é um país de idiotas. Basta ver o quilate de políticos que são continuamente eleitos, pelo povo esclarecido e engajado, para se constatar essa verdade insofismável.

 A polêmica envolvendo o corte radical do cabelo da panicat Babi Rossi, chega então ao Jus Indignatus, com o peso de, bom, uma pluma. Li por aí que feministas ensandecidas tratam o episódio como "uma humilhação com as mulheres". A Playboy, que não se se furta a publicar fotos da perseguida careca, recuou do convite feito à sujeita depois da máquina zero. Vulva desnuda pode, cabeça não? 

O nível da cretinice é tamanho que não se atentam, as idiotas gritadoras, que humilhante é mulheres ganharem bem mais que professoras, enfermeiras, advogadas e por aí vai apenas mostrando os peitões turbinados, bundas gigantescamente apetitosas, pernas bombadas e barrigas saradas, embaladas em minúsculos biquínis. Ou pior, descaradas alpinistas sociais, golpistas do baú, se tornarem celebridades dando a periquita.

É tudo que eu tenho a dizer sobre isso.

quinta-feira, abril 12, 2012

Acompanho de longe a votação, pelo STF, da liberação do aborto para casos onde o feto apresenta anencefalia (leiam AQUI o que é isso). Não entendi bem a celeuma que esta votação está provocando entre defensores ferrenhos da proibição definitivamente eterna do aborto.

Por questões de foro íntimo, pessoal e intransferível sou contra o aborto. Mas jamais obrigaria a alguém a não fazê-lo. Minha missão é instruir e aconselhar, se seguem ou não o que eu digo aí é com o tal livre-arbítrio. O Brasil, como país laico, não deveria obrigar a quem não tem crença religiosa, e por crença leia-se entender e ser um praticante participativo nas ações de sua religião, a seguir qualquer dogma. Deixe que o descrente entenda-se com o altíssimo depois.

Mas sendo pragmático, um feto anencéfalo não tem a menor chance de sobrevivência, aliás não tem chance de nada, muito menos de dignidade. Se o religioso esperneante é contra a prática do aborto nessas condições ele que arque com os custos. É fácil defender uma bizarrice dessas se a grana não sai do bolso.

Na minha modesta opinião, aborto nessas condições não é crime, é um ato misericordioso e de muita dignidade. Se estou errado me entendo depois com o Altíssimo.

sábado, março 10, 2012

Temos o Ministério da Agricultura e temos o Ministério do Desenvolvimento Agrário. É isso? Ou são a mesma coisa? Caraleos...

O $enado Federal é guarida de 81 espertalhões inúteis, cuja única função é sugar todo o suado dinheiro do povo, e também é destino de pessoas de bem que desejam se dar bem. Vamos combinar, salário de R$ 12 mil para pessoas com ensino médio, e cuja atribuição será a tirar cópias de projetos de lei irrelevantes, é um tapa na cara do mercado privado. O que está errado?

No Brasil temos o ECA, estatuto que permite que menores roubem, matem, estuprem e pratiquem as maiores barbaridades e sejam repreendidos com palavras duras, e temos o ECAD. Este último é formado por mentes brilhantes e criativas que passam o tempo imaginando formas de arrancar dinheiro do mercado pela reprodução fonográfica, o que quer que isso signifique nos tempos atuais. Bom, se deram mal.

terça-feira, janeiro 24, 2012

Fio solto. É impressionante a capacidade do PSDB em se deixar apanhar em armadilhas. O caso do Pinheirinho é mais um. Parece de propósito.

Nós e eles. Dois casos envolvendo "otoridades" federais indignaram o país. O país deles, é claro. Se um reles mortal morresse na porta de um hospital ou fosse atingido por uma bala de borracha ninguém ia ficar sabendo ou, se soubessem, seria mais alguns nas estatísticas.

Histeria coletiva. Só um bêbado cego e com QI de ameba não veria que a barriga, da grávida de Taubaté, era feita daquelas bolas plásticas que se vendiam na praia, nas antigas, e com acabamento tosco. Eu, que não sou especialista em falcatruas e pilantragens, saquei na hora. Santa ingenuidade, Batman.

Mais do mesmo. E entra ano e sai ano e a picaretagem nacional se esforça para superar metas. Se no ano passado acharam que foi um recorde de escândalos, aguardem 2012.

Dúvida. E eu queria saber que foi o indiano sacana que inventou a fila.

Copyright 2010 Jus Indignatus por Ricardo Rayol*template e layout layla*
Clicky Web Analytics