quinta-feira, agosto 18, 2011

Culminando uma sequência de empresas que se valem de trabalho escravo em sua cadeia produtiva, a Zara foi multada em R$ 1 milhão.

A empresa se defende dizendo que respeita as leis e que seus contratos possuem cláusulas contra este tipo de artimanha. Muito bacana da parte deles.

Mas, se eles tem noção do quanto custa seus insumos, não deveriam desconfiar do baixo custo apresentado pelos seus fornecedores picaretas? Ah, o custo é parelho com o mercado. Então o fornecedor além de picareta é esperto.

Se o contrato tem cláusulas punitivas, deveria, suponho eu, ser fiscalizado. cabe a questão: Se eles fiscalizam, fiscalizam como? Contratam uma empresa de consultoria pertencente há algum aspone do ministério do trabalho, ética e isenta, que ganhou sem trabalhar ou ganhou dos dois lados?

Copyright 2010 Jus Indignatus por Ricardo Rayol*template e layout layla*
Clicky Web Analytics