terça-feira, junho 14, 2011

*mono-diálogo: homenagem a um antigo colega do Marista São José da Barão de Mesquita que soltou essa pérola em uma aula de português. Lembro o nome dele mas não sei se posso divulgar sem ser processado ahahaha

O troca-troca ministerial antes de ser obsceno é.. obsceno. Ideli foi nomeada para o ministério da pesca como prêmio de consolação, depois de ser vergonhosamente abandonada pelos seus mentores na corrida pelo governo catarinense (graças ao todo-poderoso). O sujeito que foi nomeado aspone na secretaria de relações institucionais o foi sei lá porquê motivo, mas imagino que também tenha sido algum consolo, sem trocadilhos.

Ideli no máximo entende de tainha, o sujeito não entende de nada.

Então, a pocilga nacional grunhia, indignada, atrás de sua lavagem. Estava então criado o impasse institucional. A cabeça do sujeito deveria ser servida em bandeja de prata, não se sabia quem seria a salomé. Mas a culpa não era dele, o coitado. Era da chefa.

Mas estou divagando. A realidade é que diulma, num gesto até que ousadamente inesperado, sentou a botina no rabo de lula e seus aliados, ignorou uma suposta indicação do zé dirceu e fez o tal troca-troca. Tirou um zero à esquerda de perto e trouxe um pitbull para perto. O sujeito, de quem continuo não recordando o nome, declarou, impávido colosso, em sua posse no ministério da pesca, que irá fomentar o crescimento das atividades dos pescadores artesanais e das empresas de pesca. Ou seja, de todos. Mas tenho certeza que quem vai se dar bem não é o artesão. Sem esquecer que a pesca industrial, como a conhecemos, irá acabar até 2050.

Já Ideli, em combinação com sua chefa, irá descarregar R$ 250 milhões em emendas para apaziguar os barrões. Em troca a súcia ignorará alguma votação importante para o país, que não me recordo.

Em resumo, colocaram as pessoas erradas, nos lugares errados, de novo.

Copyright 2010 Jus Indignatus por Ricardo Rayol*template e layout layla*
Clicky Web Analytics