terça-feira, maio 10, 2011

Ouvindo a CBN, a rádio que toca notícia, tive o desprazer de ouvir uma reportagem sobre o posto volante do Procon de Santa Catarina. Não que um posto volante seja má idéia, não a é. O que me deixou indignado foi a declaração do prefeito da capital. Disse o ... mais ou menos assim: "O Procon é uma entidade coercitiva. Se todas as instituições seguissem a legislação (pausa, pausa, pausa) do consumidor, o Procon não teria razão para existir". Pois é, se os políticos venais e fisiológicos não metessem a mão descaradamente ou fossem em cana quando o fizessem, ninguém, muito menos as empresas, seriam tão ágeis em ludibriar o fisco, o consumidor e o escambau.


"Faça o que eu digo, não faça o que eu faço", provérbio austro-hungaro-asteca.

Copyright 2010 Jus Indignatus por Ricardo Rayol*template e layout layla*
Clicky Web Analytics