sexta-feira, janeiro 07, 2011

Tenho planos, distantes e nebulosos, de viajar para o exterior. Estou providenciando meu passaporte, por via das dúvidas. Mas percebi que não preciso pagar R$ 156,07 por ele. Basta apenas me apresentar no Itamaraty, a casa da mãe joana e puteiro institucional. Afinal, sou bom pagador de impostos, não sonego e pago em dia, não cometo crimes, não compactuo com picaretagens. Sou um reconhecido representante da arte escrita brasileira. Sou também o psicógrafo oficial do maior mago esotérico oportunista da atualidade, além de competente prestador de serviços domésticos, comuns e incomuns.

Em resumo, sou importante para o Brasil. Mereço ter o meu passaporte diplomático. Mais do que os filhos do monarca eneadáctilo.

Copyright 2010 Jus Indignatus por Ricardo Rayol*template e layout layla*
Clicky Web Analytics