segunda-feira, janeiro 10, 2011

Paulo Coelha está desolada. Seus escritos nebulosos, que representam o que há de pior em esoterismo oportunista, foram proibidos e banidos no religiosamente democrático e bem resolvido Irã. Segundo informações, "nenhum livro que contenha o nome de Paulo Coelho terá mais autorização para ser publicado no Irã".

Segundo ela, proibir os livros só pode ser um mal-entendido.

Uma pena, pena mesmo, uma pena que não tenha sido banido do mundo inteiro. E ela tem que levantar as mãos ao altíssimo, por muito menos um certo Salman Rushdie foi declarado alvo.

Copyright 2010 Jus Indignatus por Ricardo Rayol*template e layout layla*
Clicky Web Analytics