terça-feira, novembro 30, 2010


Muito tempo se passou depois de minha última postagem. Ainda estou sob efeito da adrenalina de assistir Tropa de Elite 3 - Versão do diretor.

O resumo da ópera é que o Rio ainda tem uma longa caminhada antes de exportar, em definitivo, seus traficantes e bandidos para outras cidades, perto ou não. Algumas coisas deveriam ser remodeladas, por exemplo, o código penal. O que esses fdp fizeram no Rio deveria ser objeto de uma lei anti-terrorismo. E das mais duras. É fácil incendiar e aterrorizar a população sabendo que, no máximo, vai ser processado pelo nosso ágil judiciário com direito a pena progressiva e indultos mil.

E tenho certeza que ninguém iria ficar triste se aquele bando de ratos, fugindo da "comunidade" da vila cruzeiro, fosse metralhado sem dó nem piedade.

Mas isso tudo é o preâmbulo do delírio tremens final de nosso intrépido e alcoolizado líder. Caraleos, de onde ele tirou a idéia que precisamos de um avião novo? Onde está a humilhação em fazer uma escala para abastecimento em vôos de longa distância? Sempre achei que essas escalas eram um pretexto para que nossos nobre$ repre$entante$ pudessem vadiar em cidades da moda, como Paris, londres, Roma ou Los Angeles.

sexta-feira, novembro 19, 2010

Esta semana duas notas foram publicadas relacionadas ao empresário Eike Batista. Na primeira o bilionário avisa que desistiu de construir um estaleiro em Biguaçu, na grande Florianópolis, levando o empreendimento para o complexo do Porto do Açu, no Rio de Janeiro. Lideranças políticas lastimaram, afinal muita grana ia rolar. Ambientalistas comemoraram. E aqueles que criaram dificuldades para vender facilidades se ferraram.

A segunda diz respeito à negociação, que o mega-visionário está capitaneando, para trazer ao Brasil uma montadora de produtos da Apple. O que me chamou a atenção é que esta montadora seria, eventualmente, instalada no mesmo complexo do Porto do Açu, para onde seguiu o estaleiro. E continuando, na mesma nota, percebe-se que, para implantar o complexo, será necessário um investimento de RS$ 4,3 bilhões e que já tem um plano de ação bem estruturado e investidores ávidos em participar.

Tirando que Açu rima com Biguaçu, qual seria o significado econômico de se criar um mega-empreendimento no Rio de Janeiro e enfiar o estaleiro (com investimento previsto de R$ 2,5 bilhões) em Santa Catarina? Seria apenas jogo de cena para atrair votos para a candidata petista, derrotada, esmagada e, espero, enterrada para todo o sempre amém, no pleito passado?

Pelo jeito, mesmo com autorização papal, o estaleiro ia parar na costa fluminense. O resto é falácia.

O que me causa estranheza é que hoje existem, no mínimo, três instâncias para se obter autorização ambiental, o ministério, o IBAMA e um tal Instituto Chico Mendes... Haja mamata.

Em tempo: Existe a possibilidade de que seja construído um resort com marina onde seria o estaleiro, empreendimento bem mais adequado ao perfil da região.

segunda-feira, novembro 15, 2010

Se já não bastassem a bolsa-família e a bolsa-"cultura", chegará, em 2011, aos desvalidos e necessitados o bolsa-celular.

Com o intuito de aproveitar o bom momento político, o governo, em parceria com a CEF, irá distribuir, com nosso imposto, celulares para os beneficiários do bolsa-família. De posse desses artefatos tecnológicos, poderão receber o montante mensal utilizando seus belos Iphones, blackberries e smartphones. Não foi explicado quem pagará a conta de telefonia, considerando que quem recebe auxílio público deveria empregar o dinheiro comprando comida e outros bens de primeira necessidade.

Intrigante.

domingo, novembro 14, 2010

Intrigante. Gostaria muito de saber qual foi a empresa que auditou os demonstrativos financeiros do banco Pan-Americano. E também qual foi o critério que o pessoal da CEF usou para aprovar a compra de parte do capital considerando que a situação do banco já era irregular.

Rombo. Com esse rombo SS empenhou todo o patrimônio. O SBT deve ser vendido por último. "Quem quer uma rede de TV?" será o nome do novo quadro dominical.

Ironia. O engraçado é que esse esquema só não criou o caos porque o Proer previa este tipo de situação quando foi criado.

Pesca. Metade do valor destinado como bolsa-auxílio-pescador-traíra é pago a quem não o é. Pelo jeito tem muito dono de lancha se dando bem.

Leitura. Como ia ficar horas viajando, comprei um livro. Não tinha muita opção na livraria e acabei escolhendo "A Passagem". Apesar do título piegas, só comprei porque tinha uma crítica de ninguém menos que Stephen King. Não consegui parar de ler e "matei" o livro em menos de dois dias, considerando que trabalhei e também dormi. São 816 páginas de puro terror. Não sou um cara impressionável, mas tenho tido pesadelos desde então. Pelo que entendi, este livro faz parte de uma trilogia, que espero esteja na praça em breve. Recomendo.

quarta-feira, novembro 10, 2010

O ministro da (des)educação afirmou, na televisão, que os auditores do MEC apenas fiscalizaram as matrizes das provas, antes da impressão, e que era impossível auditar as ditas provas depois de impressas, pois a quantidade de provas que foram confeccionadas era enorme. Discordo nesse ponto pois qualquer calouro de universidade zé mané já ouviu falar de "amostragem".

Mas o que ocorreu mesmo foi pior, as próprias matrizes já vieram com o erro. Ou os auditores eram cegos ou eram aspones encostados que não entendem xongas de porra nenhuma de provas.

Em tempo: Fica aqui o meu alerta, o franklin martins botou as manguinhas de fora ao ameaçar retaliar, os $enadore$ e dePUTadOS que tem rádio e TV, caso o novo marco regulatório das telecomunicações seja combatido.

terça-feira, novembro 09, 2010

O ministro da (des)educação está tentando explicar o inexplicável. Primeiro um contrato de mais de R$ 68 milhões deveria ter olhos de águia em cima, e não olhos de urubu.

Segundo, auditar a matriz das provas é de uma estupidez ímpar. Novamente, em um contrato de mais de R$ 68 milhões, no mínimo, o MEC deveria auditar as provas por amostragem. Tenho certeza que encontrariam pelo menos uma prova errada.

E, por último, um sujeito que tem orgulho de ser semi-analfabeto declarar que não vê nada demais na cagada que fizeram é ridículo.

Descaso, incompetência, avidez.

VTNC.

segunda-feira, novembro 08, 2010

Por que sumir covardemente é o recurso dos cretinos escalados pelo PT.

E o INEPto ainda acha exagero cancelar a prova.

Quem se dará bem é a gráfica, ou pelo menos quem terá a mão molhada no processo.

VTNC.

quarta-feira, novembro 03, 2010

Os ventos da eleição passaram, os restos mortais de mais um pleito eleitoreiro jazem alhures. O butim foi repartido e agora iremos acompanhar de perto, muito perto, as cagadas que fatalmente virão. Sim, ela foi eleita democraticamente, no voto, com a ajuda maciça da máquina pública.

Haverão outras eleições, outros candidatos, as moscas mudarão mas o esterco permanecerá. Por isso, para mudar o jeito de fazer política nesse país, lanço Walter Carrilho para a presidência e eu mesmo para $enador da república.

Serão 4 anos de planos, intrigas, esquemas, armadilhas e muito trabalho pela frente.

Aguardem.

Copyright 2010 Jus Indignatus por Ricardo Rayol*template e layout layla*
Clicky Web Analytics