quarta-feira, novembro 10, 2010

O ministro da (des)educação afirmou, na televisão, que os auditores do MEC apenas fiscalizaram as matrizes das provas, antes da impressão, e que era impossível auditar as ditas provas depois de impressas, pois a quantidade de provas que foram confeccionadas era enorme. Discordo nesse ponto pois qualquer calouro de universidade zé mané já ouviu falar de "amostragem".

Mas o que ocorreu mesmo foi pior, as próprias matrizes já vieram com o erro. Ou os auditores eram cegos ou eram aspones encostados que não entendem xongas de porra nenhuma de provas.

Em tempo: Fica aqui o meu alerta, o franklin martins botou as manguinhas de fora ao ameaçar retaliar, os $enadore$ e dePUTadOS que tem rádio e TV, caso o novo marco regulatório das telecomunicações seja combatido.

Copyright 2010 Jus Indignatus por Ricardo Rayol*template e layout layla*
Clicky Web Analytics