sexta-feira, outubro 29, 2010

No Brasil, a putaria está em alta. Não bastasse nosso congre$$o nacional e o $enado federal fazerem as honras e serem a locomotiva dos desvios e maracutais com nosso imposto, o povão, esta entidade metafísica cortejada nas eleições mas esquecida no dia seguinte à vitória, também se mexe para ter seus direitos garantidos.

Foi pensando nisso que alguns espertalhões resolveram transformar o manual profissionalizante, ditado à um ghost-writer pela Bruna Putistinha©, em filme. E, sabe-se lá a troco do quê, descolaram uma graninha (quase R$ 4 milhões) via Lei Rouanet, para a produção. Sexo promíscuo e pago é cultura.

O que deverá ser mostrado no filme com a Déborah Secco? Nada, o selo pornô Brasileirinhas já produziu um filme bem mais didático e totalmente aderente ao manual, sem subsídio fiscal.

Mas o tom bizarro fica por conta da atriz protagonista, que declarou: "Há personagens que mudam a vida de uma atriz. E esse personagem mudou minha vida". (meus advogados me impediram de publicar a conclusão a que cheguei). Ela também se emocionou ao ver trailer pela primeira vez. Se você vai ver um filme de putaria medonha e sai emocionado, tem alguma coisa errada.

O timing do lançamento aparentemente é perfeito. Existe um projeto para o tal bolsa-cultura no forno. Imaginem onde a rapaziada vai gastar a grana do nosso imposto?

E disso ninguém reclama.

Copyright 2010 Jus Indignatus por Ricardo Rayol*template e layout layla*
Clicky Web Analytics