sexta-feira, maio 07, 2010

O pragmatismo de lula é obtuso. Antes um "guerreiro da liberdade" imagino que foi convencido, ao longo dos anos que tentou a mamata da presidência, pelas empreiteiras. Convencido ou doutrinado. Se não me falha a memória estas empreiteiras são as mesmas que há anos, ou décadas, vem mamando nos úberes fartos do governo, qualquer governo. Então lula pensou. Fato raro. E concluiu que ir contra as "forças democráticas" seria um tiro no pé. Para aplacar a ira da ala renovadora e progressista do partido, colocou uns celerados, celso amorim, marco toptop garcia e outros deste quilate, para fingir que as coisas estavam mudando. Apoiando CUba, Irã, Bolóvia e Chavezland atenderam os anseios dos fumadores de maconha do PT.

lula sabe, lula diz: "Só tiro o Tuma se vier um fato novo". O único fato novo que não apareceu seria, hipoteticamente, o suposto envolvimento do sujeito em genocídios. O cara é amigão do peito do maior contrabandista do país. No mínimo suspeito. No máximo conivente.

A justissia é bizarra. Um procurador da república, sabe-se lá o que quer dizer esta merda, declarou que acha que a pena de 94 anos para os donos da daslu exagerada. "Nem o Marcola pegou essa cana dura", declarou um aspone causídico em off para nosso analista jurídico GlÊnio Gangorra. Faz sentido.

Dia do fico, 7 de maio de 2010: 'Tirem o cavalo da chuva. Não vou sair', afirma Tuma Jr. (sou sagaz)

O twitter é um circo. É um desafio sacanear tantos com tão poucos caracteres. Mas até que estou me virando bem. Sigam @jusindignatus.

Copyright 2010 Jus Indignatus por Ricardo Rayol*template e layout layla*
Clicky Web Analytics