terça-feira, abril 20, 2010

Nada mais idiota quando magistrados tentam explicar o inexplicável. O CNJ está veiculando propaganda em rádio e TV. Trata-se, pelo que entendi, de um "plebiscito" a respeito de que tipo de pena um criminoso deveria pegar. O que ouvi no rádio foi risível. "Fulano, cresceu numa 'comunidade', começou a andar em más companhias e roubou uma bolsa. Que pena ele deveria ter?" Esqueceu, o marqueteiro cretino, que atualmente usam menores de idade para assumir homicídios, pois estes "privilegiados" não encaram uma cana dura e sim medidas sócio-educativas de porra nenhuma.

O que seria correto era perguntar: "Fulano, cresceu numa 'comunidade', teve poucas oportunidades, viciou-se em crack aos 10, graças aos seus amigos. Aos 16 anos, numa tentativa de assalto, matou João, 47 anos, trabalhador, que deixou mulher e filhos. Que pena esse filho de uma puta deveria ter?"

Por falar nisso. Hoje, no Rio de Janeiro, houve uma grande operação policial para re-capturar um traficante responsável pelo "movimento" do morro da Coréia e outro que não me recordo. O sujeito já estava preso e não se re-apresentou depois de SAIR PARA VISITAR A FAMÍLIA. Vão tomar no cu.

Haja aspas.

Copyright 2010 Jus Indignatus por Ricardo Rayol*template e layout layla*
Clicky Web Analytics