quarta-feira, outubro 07, 2009

Política. O TSE negou a participação do Partido da Mulher Brasileira nas eleições 2010. Na proposta de estatuto do partido, se apresentaram como "um instrumento político legal para propor com abrangência uma discussão da causa do papel da mulher junto à sociedade brasileira, tanto pela sua natureza biológica, ideológica e doutrinária, como pela participação efetiva nos processos políticos e eleitorais" (sic). Nosso analista político, Glênio Gangorra, comenta: "É óbvio que a apresentação é falha. Se eu fosse o marketeiro diria: 'Um instrumento para práticas políticas ilegais, trazendo, para o âmbito do congresso, a discussão da partilha do butim público, de forma ponderada e igualitária, entre homens e mulheres, devendo às damas a parte do leão. A participação na comissão em projetos públicos não excederá os 20% regulamentares'. A falta de experiência nesse aspecto da política brasileira é que fodeu com os planos femininos".

Política 2. Um dos motivos, identificado por Glênio, para que o pleito não fosse aprovado foi a confusão causada pelo Partido dos Anões Albinos Mancos. Antes mesmo de iniciarem suas atividades houve uma cisão: os mancos da perna esquerda formaram uma dissidência comunista.

ENEM. Antes de ver o vídeo, onde fica demonstrada a peneira que era o consórcio responsável pelas provas, ouvi que só faltava a Liga da Justiça ajudar na segurança. Não entendo como é que uma licitação de R$ 100 milhões não tem uma auditoria contínua.

Disque 161. Floripa lançou o disque-denúncia para que o cidadão dedure as obras consideradas irregulares em áreas de preservação, risco etc. "Vamos demolir toda e qualquer obra irregular", esbravejou um enfezado fiscal da prefeitura. Fica a pergunta: Não vão demolir o "Il Campanário"? Deveria ser disque 171.

Rio 2016. Políticos e cartola$ estão em polvorosa. "Vamos encher o rabo de dinheiro", resumiu um importante cartola, em off, ao nosso comentarista esportivo Cabral Casseta. Movimentos do tipo transparência estão de olho. Como eles são meio ceguetas, assim como a justissia brasileña, não tenho dúvidas que vamos galgar um novo patamar no quesito "maracutais e afins".

Copyright 2010 Jus Indignatus por Ricardo Rayol*template e layout layla*
Clicky Web Analytics