sábado, setembro 19, 2009

Mas é incrível como os iguais se atraem. O "adevogado"-geral da união, indicado por Lula para ocupar a vaga de falecido ministro no STF, pasmem, foi condenado, juntamente com sócios (comparsas?), a devolver R$ 420 mil aos cofres públicos de onde? Claro, do Amapá.

Não é surpresa que o sujeito, que tem a obrigação de defender o governo, esteja metido em rolo. Mas fica a pergunta: Lula estava indicando um "amigo" ou estava fazendo um favor ao $arney? Afinal, ter um aliado na suprema corte ajudaria muito ao $enador caso, eventualmente, ele fosse responder pelos seus desvios.

Em tempo: "Antes mesmo de oficializado para o posto, Toffoli era criticado por ter sido advogado do PT, por sua ligação com o ex-deputado José Dirceu e por haver defendido no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) o presidente Lula em três campanhas eleitorais - 1998, 2002 e 2006. Também são apontados o fato de haver sido reprovado em dois concursos para a magistratura (em 1994 e 1995) e não ter diploma de mestrado. Por fim, é citada ainda a condição de defensor dos interesses do governo na Advocacia-Geral da União." (fonte O Estadão)

Copyright 2010 Jus Indignatus por Ricardo Rayol*template e layout layla*
Clicky Web Analytics