terça-feira, setembro 15, 2009

Com a queda dos juros, os fundos de renda fixa deixaram de ser atraentes. No sentido contrário, ganhou força a aplicação em caderneta de poupança. Isso é explicado, principalmente, pela taxação que os fundos lastreados em títulos públicos e privados sofrem. Como é público e notório a poupança é isenta de impostos.

Era. O governo, sem saber o que fazer, apresentará um projeto para que os ganhos dos investimentos, acima de R$ 50 mil, sejam taxados em 22,5%. O medo é que, com a fuga do investidor ganancioso e malvado, dos fundos de investimento, o governo não consiga mais rolar sua dívida e não consiga mais manter tantas boquinhas alimentadas. Este brilhante projeto será apreciado pelos venais e fisiológicos da pocilga. Dia o governo que não haverá problemas na sua aprovação, Glênio Gangorra comenta: "Realmente não haverá problemas. Os nobre$ repre$entante$ do povo estã se lixando para a poupança. Seu patrimônio ou está imobilizado, em fazendas, castelos e gado, ou foi desviado em aviões para paraísos fiscais".

Informou o plantão econômiCU do Jus Indignatus.

Copyright 2010 Jus Indignatus por Ricardo Rayol*template e layout layla*
Clicky Web Analytics