quarta-feira, agosto 19, 2009

No primeiro filme de Lilo & Stitch, a Terra é salva de ser aniquilada porque um consultor ambiental alega que os mosquitos terrestres eram uma espécie ameaçada de extinção blábláblá. Essa "idéia" foi colocada na cabeça do tal consultor alienígena por um agente da CIA.

O instituto Chico Mendes entrou com uma liminar, suspendendo as obras do porto de Imbituba, em Santa Catarina, mesmo tendo o projeto ambiental aprovado, porque um eco-pentelho reclamou que o trabalho do bate-estacas iria tirar o sono das baleias, que se divertem em uma área protegida próxima. Com isso, 400 operários iriam ficar sem emprego. Iriam, porque algum iluminado derrubou a liminar considerando a ação ecológica arbitrária.

Sou defensor da responsabilidade ambiental. Mas com bom-senso. Se os eco-chatos querem salvar minhocas aneladas roxas tudo bem. Mas se isso representa impedir que uma cidade se desenvolva, dentro de um projeto sustentável e sem agressão ao meio-ambiente (pelo menos mínima), minha sugestão aos prefeitos é: "Legal 'seu' Chico Mendes, me paga aí meus R$ 100 milhões por ano de arrecadação que eu acato suas liminares sem recorrer".

Minha sugestão aos espertalhões: "Pesquisem projetos interessantes, do ponto de vista fiscal, com um mínimo de impacto ambiental, apresentem o projeto, tenham-no rejeitado por motivos ecológicos e entrem com uma ação contra o governo. Das duas uma, ou o projeto é aprovado e você, espertalhão amigo, vai ter um negócio rentável ou vão ganhar uma bela grana pública.

Copyright 2010 Jus Indignatus por Ricardo Rayol*template e layout layla*
Clicky Web Analytics