terça-feira, março 31, 2009

Injustiça. Michel Temer, presidente da pocilga, acha que a sociedade brasileira está sendo injusta quando critica a forma espúria, irresponsável e sem critério que aquela casa de tolerância utiliza-se do dinheiro público.

Justissia. Já Sarney, presidente do $enado, contratou a FGV, sabe-se lá por que montante, para colocar ordem na casa. "Iremos fazer uma revolução administrativa, duela a quien duela", comentou um alto aspone, quase dirpone, daquela outra casa de tolerância. São 10.000 funcionários no $enado, 123 por $enador.

Mau-uso. Já que é uma zona, um nobre dePUTadO usou uma secretária parlamentar supostamente como empregada doméstica. Só pediram a exoneração da dita cuja depois que o pegaram, o dePUTadO não a empregada, com a mão na massa.

Obras. "Nem fodendo que vão entregar 1 milhão de moradias até 31/12/2010", comentou um importante consultor independente, com trânsito no ministério do PAC, para o Jus Indignatus.

Estratégia. "Seguimos uma importante estratégia tática diversionista, em relação à divulgação de informações de cunho social. Vamos entregar sim, fodendo ou não, 1 milhão de moradias", retrucou um aspone palaciano ao importante consultor independente.

Suruba. Já que estamos falando de putaria e sacanagem. A miss universo, venezuelana, passou 5 dias inteiros em Guantánamo, em companhia da miss EUA. Nosso enVIADO especial ao mundo do entretenimento, Hugo Toso, foi lá e conferiu. "Foi muito divertido. Começávamos o dia assistindo aos exercícios físicos que os prisioneiros faziam. Os instrutores realmente estavam determinados a colocá-los em forma. Depois, corríamos peladas na praia, sob os olhares atentos dos fuzileiros navais. Tínhamos um batalhão inteiro à disposição. Cada um deles com um enorme fuzil na mão e apontados em nossa direção. Dava até medo. Mas conseguimos, juntas, que depussessem as armas", declarou a bem-informada modelete.

Copyright 2010 Jus Indignatus por Ricardo Rayol*template e layout layla*
Clicky Web Analytics