segunda-feira, outubro 06, 2008

Terminado o primeiro round tenho que tecer meus comentários.

São Paulo. O paulistano não aprende. Não é possível que tenham levado a martaxa para o segundo turno, se bem quem as alternativas eram bisonhas. Como Maluf. Interessante foi a argumentção que a candidata usou para comparação: "Ele (Kassab) foi secretário do Pita". Bom, ela pertence a um partido onde seus pares cometem todo o tipo de supostas falcatruas e maracutaias. Pela lógica dela aí que não deveria ser eleita.

Rio de Janeiro. O novo contra o novo. Desbancar o Crivella da oportunidade de disputar o segundo turno já valeu a entrada no reino do senhor para Gabeira. Mas como historicamente o Rio cada vez afunda mais, só se o novo prefeito tiver uma baita carta na manga. Nesse ponto o guri leva vantagem sobre o descolado.

Floripa. Caralho, vinde amin as criancinhas que delas tirarei o doce da boca. Foi uma surpresa Espiridião desbancar o candidato do DEM. Se bem que são todos da mesma patota. O bizarro: Ele fez campanha sobre o conceito da mudança. Mudança onde cara-pálida? Por que agora ele fará o que não fez em dois governos? Por falar nisso, em São José, cidade conurbanada a Floripa, quem se elegeu foi o irmão do atual prefeito da capital, Djalma Berger, o mesmo que afirmou, por email, que votaria contra a CPMF e votou a favor. Fudeu.

Mas o mais intrigante é a putaria generalizada nessas eleições. O que teve de oponentes deitando-se na mesma cama não foi desse mundo.

Copyright 2010 Jus Indignatus por Ricardo Rayol*template e layout layla*
Clicky Web Analytics