sábado, agosto 16, 2008

Robson Caetano como comentarista olímpico é ótimo velocista. O titubeio, a chatice e sua análise dos fatos são de irritar até o Galvão Bueno. Mas nosso correspondente em Pequim desvendou o mistério das narrativas cheias de cacoete, vejam o texto encontrado em uma lixeira perto da cabine da Vênus Platinada.

"O atleta vem subindo de produção ao longo do ano, mas é (operadora de telefonia celular) pode perder".

"A atleta tem que pular acima 4,80, tenho minhas dúvidas. (Operadora de telefonia celular) ela quer a medalha"

"É o maior evento esportivo do mundo, um grande desafio para os atletas. Mas, é (operadora de telefonia celular), ninguém gostaria de ficar de fora".

Michael Phelps está sobrando. Se ele ganhar a oitava medalha de ouro na piscina com nova quebra de recorde (que seria a sétima), quantas décadas irão levar para que alguém consiga vencer 8 vezes com 8 quebra de recordes?

Bolt também sobrou. O homem mais rápido do mundo poderia ter conseguido baixar mais ainda o recorde de 9,69 s. "Se eu fizesse isso, não conseguiria manter o fluxo de caixa por mais 4 anos, man", declarou, com exclusividade ao Jus Indignatus, o jamaicano.

Isso que dá uma geração crescer assistindo Galvão Bueno narrando corrida do Rubinho, né César Cielo? (brincadeiras à parte, foi sensacional)

Copyright 2010 Jus Indignatus por Ricardo Rayol*template e layout layla*
Clicky Web Analytics