quinta-feira, julho 31, 2008

Emails trocados entre líderes das FARC nomeiam quem, no governo Lula, é faixa dos terroristas latrino-americanos da Colômbia. Supostamente são os seguintes os nomeados: José Dirceu, a deputada distrital Erika Kokay, o chefe de Gabinete da Presidência da República, Gilberto Carvalho. Também são mencionados nesses e-mails Celso Amorim, o aspone especial Marco Aurélio Garcia e o assessor presidencial Selvino Heck. O que me chamou a atenção é a presença de dois "defensores" dos direitos humanos, Perly Cipriano e Paulo Vannuchi, o que explicaria a predileção desses "defensores" em defender os direitos de animais assassinos e que tais, ao invés do cidadão contribuinte.

Como não há emails diretos entre os nomeados e os terroristas traficantes fica tudo no campo das hipóteses.

Mas caso seja algo supostamente real, existe condenação por traição? Sim, traição, não vejo outro motivo para que tantos "luminares" petistas estejam envolvidos com algo assim a não ser solapar o estado de direito "democrático" brasileiro.

Por que não existem emails entre eles e as FARC? Será por que não sabem usar internet? Será por que não sabem usar email? Será que os misteriosos codinomes "Pompom Rosa" e "Olho que não enxerga", encontrados no micro do líder morto, é de algum deles?

E agora?

Copyright 2010 Jus Indignatus por Ricardo Rayol*template e layout layla*
Clicky Web Analytics