sexta-feira, maio 16, 2008

Contratos do Metrô de São Paulo no valor de R$ 556 milhões, com a fornecedora de trens Alstom, são considerados irregulares pelo TCE (Tribunal de Contas do Estado). Irregular porque o Metrô preferiu executar um contrato de 1992, onde existiam impostos, ao invés de se utilizar dos benefícios fiscais de uma licitação recente.

A conta bateu nos R$ 70 milhões. Veja AQUI a lista de prefeitos de São Paulo.

O Metrô se defende dizendo que, executando o contrato antigo, economizou R$ 100 milhões, já que os preços da Alstom eram inferiores a de outros concorrentes.

De quem é a razão? Quem se locupletou? Cadê o meu quinhão?

Copyright 2010 Jus Indignatus por Ricardo Rayol*template e layout layla*
Clicky Web Analytics