quinta-feira, abril 17, 2008

Para provar que o ex-cirurgião plástico Farah Jorge Farah, acusado de esquartejar a mulher, era conceituado em São Paulo, sua defesa levou uma testemunha que confirmou que ele já teve como paciente a atual primeira-dama, Marisa Letícia.

Deixa eu entender, ele era um esquartejador conceituado? Sua inocência pode ser provada por não ter esquartejado a primeira-apedeuta? Foi ele que fez isso aqui?




O cara não é cirurgião, o cara é Deus.

Mas falando sério, como é que bandidos, de todas as raças, credos e classes sociais, terão medo de um justissia dessas?

Copyright 2010 Jus Indignatus por Ricardo Rayol*template e layout layla*
Clicky Web Analytics