terça-feira, abril 15, 2008

O movimento estudantil é uma maravilha. Formado por legiões de inocentes úteis, e algumas dezenas de inúteis, quando se mobilizam causam furor na sociedade e terror em quem tem o rabo preso, que o digam Collor e o ex-reitor da UnB.

Mas, por que deixar que uma parcela significativa da sociedade tenha credibilidade se podem dar um jeito de desacreditá-la? É o que deve estar por trás da teimosia dos estudantes brasilienses em continuar a invasão da reitoria. (Não me digam que a razão é o desejo de eleições paritárias).

Nossos instruídos cidadãos irão pensar que a "galera" quer mais é sexo e baderna (e outras cositas). Quando os estudantes quiserem se meter em algo realmente importante, como por exemplo defenestrar de seus cargos, para sempre, todos os políticos venais, fisiológicos e filhos da puta do Brasil, um luminar estrategista político da situação (qualquer que seja ela) irá apontar o dedo e lembrar que eles são uns moleques. E fim da história.

Copyright 2010 Jus Indignatus por Ricardo Rayol*template e layout layla*
Clicky Web Analytics