segunda-feira, janeiro 28, 2008

Um final de semana rico em bizarrices me leva a mais essa edição do "Curtas e Grossas", para não sair escrevendo descontroladamente.

Começamos com a América Latrina. HuguitoZezitoLuizito, o pequeno fidel, em mais um de seus orgasmos mentais precoces, acena com a possibilidade de atropelar o referendo sobre re-eleição realizado em dezembro último. Lá em 2010 ele tem a opção "constitucional" de convocar um referendo revogatório sobre seu próprio mandato, onde a pergunta é se querem que ele termine, em 2013, o que começou. Mas, ardiloso como uma raposa neurastênica, pretende incluir uma pergunta capciosa: "O senhor concorda em emendar o artigo 227 da Constituição, onde diz que o presidente só poderá ser reeleito uma vez?". Espasmo precoce, com certeza.

Na mesma balada. Sem nenhum pudor já ameaça o futuro da chavezlandia, se voltar a se chamar Venezuela. "Com a mudança de rumo 'democrático', teremos a guerra", esbravejou. Nem ficou corado.

Para se preparar contra essa mudança, o mini-me bolivariano teve uma brilhante idéia. Propôs a criação de um exército conjunto na América Latrina. Diz que é para se defender do ataque urdido pelos EUA. Mas está na cara que ele quer reforçar suas fileiras com os habituais boçais dependentes, CUba, Bolóvia e Nicarágua, evitando assim uma eventual traição de seus comandados compatriotas. Esperto? Não, muito burro.

13 políticos estão presos no Pólo Sul. São membros de uma obscura comissão de efeitos climáticos, ou algo que o valha, da pocilga brasileira. Infelizmente não foram presos, só estão presos por adversas condições do tempo. Que o deus do tempo os mantenha lá por muito e muito tempo, ou que um raio apocalíptico os parta.

E nesta semana deve assumir seu lugar lobinho, filho de lobão. Já traz a reboque um processo de calote contra o Banco do Nordeste, de R$ 5,5 milhões, entre outras manobras obscuras. A pocilga se revitaliza.

Entre março de 1996 e fevereiro de 2002 200 pessoas ganharam 9.095 vezes nas loterias da CEF. Pelo menos dois casos são de parlamentares. Eles não são investigados a respeito. Lediam a íntegra AQUI e se surpreendam em saber como a sorte bafeja sobre alguns privilegiados. Sorte é o caralho.

E, finalmente, o intrépido líder profere mais uma bobagem. Pediu que se acabe com a violência. "Se eu pudesse iria de porta em porta pedindo aos brasileiros que não cometam mais violência", disse emocionado. Ele deveria se olhar no espelho, para o próprio umbigo e começar em casa a campanha. Violência é considerar o tempo dispendido em ocupações, dos quadrilheiros do MST, para fins previdenciários? VTNC.

Copyright 2010 Jus Indignatus por Ricardo Rayol*template e layout layla*
Clicky Web Analytics