terça-feira, novembro 27, 2007

O prestigioso e renomado Boston College Medicine Journal publicou estudo, dos cientistas britânicos Teng Kong rui e Ma Bin shu, que comprova que o político, enquanto indivíduo, possue uma mutação genética representativa em seu DNA.

Esta mutação seria a responsável por desvios de padrões socialmente aceitos, como: propensão ao desvio de verbas públicas, em benefício próprio; proteção incoerente a outros políticos, independente de motivo; alta capacidade de negociação fisiológica; amnésia seletiva; desconhecimento de fatos óbvios; alta sensibilidade visual ao dinheiro, notadamente dólares e euros; propensão ao acasalamento indiscriminado, entre outros.

Esta mutação supostamente é transmitida a todos os herdeiros, legais ou bastardos, e provadamente pode ser transmitida por gerações antes de se manifestar. O estudo identificou que esta mutação incide indiscriminadamente em todo o mundo humano.

Isso explicaria, ainda de acordo com o estudo, os casos recentemente acontecidos no Brasil como, por exemplo, os mensalões tucanos e petistas, o envolvimento de indíviduos portadores desta síndrome em esquemas obscuros, a proliferação de amantes, o esquecimento de promessas de campanha, acordos políticos espúrios entre oposicionistas e aliados, desconhecimento do que acontece debaixo de suas barbas, viagens a congressos fictícios por conta do contribuinte etc.

O estudo conclui que somente medidas extremas podem controlar esta síndrome: a esterilização de seus portadores, criação de leis rígidas e que sejam seguidas fielmente e tratamento de choque contínuo.

De Boston, Albus Percival Wulfric Brian Dumbledore, com exclusividade para o Jus Indignatus

Copyright 2010 Jus Indignatus por Ricardo Rayol*template e layout layla*
Clicky Web Analytics