segunda-feira, outubro 22, 2007

Tinha que ser de lá. O cientista britânico John Speakman está testando, em ratos, uma pílula para prolongar a vida que, se for efetiva em humanos, poderia aumentar a longevidade em cerca de 12 anos, segundo explicou o pesquisador. Alguns ratos foram recrutados em certa casa de tolerância latrino-americana e já declararam seu amor pela nova droga, vislumbrando uma sobrevida em seus planos de desvio de dinheiro público. Uma cobaia argh-entina, de 82 anos, porém, não resistiu ao tratamento e morreu de AVC, um dos efeitos colaterais mapeados juntamente com infarto, crise glicêmica, câncer, acidente de trânsito e bala perdida, nos braços de seu marido de 24 anos.

O único inconveniente é que o candidato a matusalém tem que tomar uma pílula todo o santo dia. Os usuários irão encher o suposto rabo do cientista de dinheiro e, quando morrerem, ainda terão que ouvir que se não fosse o santo remédio teriam morrido 12 anos antes.

Colaborou Robinson Rayol.

-----------------------------------

Em tempo: A blogagem "Paz na Terra", promovida pelo Lino Resende, é no dia 01/11/2007.

Copyright 2010 Jus Indignatus por Ricardo Rayol*template e layout layla*
Clicky Web Analytics