sábado, setembro 01, 2007

O PT, em seu congresso, irá debater temas de importante relevância para o Brasil. Entre elas a reforma política onde o $enado seria objeto de extinção. Fala também em rever o financiamento privado para campanhas e a fidelidade partidária.

A pocilga vem se esforçando, ao longo dos últimos anos, em queimar seu filme. O que assistimos ao vivo é indecente. E eles não estão nem aí. Considerando tudo isso, é fácil se concluir que mais 81 repre$entante$, nos roubando, é absolutamente desnecessário. Olha a economia.

É claro que o PT quer revisar o financiamento privado, o que eles querem é o financiamento público. E fodam-se os contribuintes.

A fidelidade partidária é uma piada. Objeto recente de votação ficou mais ou menos assim: Você se casa, fica um tempo ali declarando amor eterno mas enquanto isso pula a cerca despudoradamente, um belo dia é pego no flagra com a mulher do vizinho (ou com o próprio, depende da orientação sexual), jura que não é nada daquilo que estão pensando e fica por isso mesmo. A única forma de fidelidade partidária que conheço é o cara se eleger e ficar até o final do mandato. Não gostou, ao final, saia e se filie a outro partido. E pague uma multa rachada entre cada eleitor que votou nele.

Copyright 2010 Jus Indignatus por Ricardo Rayol*template e layout layla*
Clicky Web Analytics