sábado, agosto 04, 2007

Em janeiro de 2002, quando era pré-candidato à presidência e presidente de honra do PT, em artigo no jornal “Gazeta Mercantil” com o título “A morte anunciada do transporte aéreo”, Lula se pergunta: o que é preciso para que o nosso país tenha um transporte aéreo eficiente? E para que as empresas voltem a contratar e a operar com lucro? Para que voltem a ocupar o terreno cedido para as empresas estrangeiras?

No artigo, cita também o projeto para a criação da Agência Nacional de Aviação Civil, a Anac, e critica o governo da época por ter retirado a proposta de pauta. Em seguida, conclui: “Enquanto isso, empresas aéreas nacionais estão falindo. O nosso país perde cada vez mais capacidade competitiva”.

O texto acima foi retirado de nota no G1. Eu achava que ele vivia numa bolha, mas o caso é mais grave do que eu pensava. Ele deve ter um problema sério de memória seletiva, um caso galopante de Alzheimer ou então, como tem orgulho de ser semi-analfabeto, algum aspone ghost-writer escreveu, ele leu, não entendeu porra nenhuma e assinou embaixo.

E agora presidente?

Em tempo: Qual a relevância da declaração da Airbus?


-------------------------------

A Veridiana está convocando para uma blogagem no dia 17/08 - Eu exijo Ordem e Progresso. Participem e divulguem.

Copyright 2010 Jus Indignatus por Ricardo Rayol*template e layout layla*
Clicky Web Analytics