segunda-feira, julho 23, 2007

Está em construção um hotel bem na rota da pista de Congonhas. Com isso a pista encurta uns 130 metros. O projeto havia sido negado, pela aeronáutica, mas 5 meses depois foi liberado. Tudo isso em 2000. Quem era o prefeito de São Paulo em 2000? Sim, ele, o pupilo de Maluf. E na sequência assume a Morta Suplicy. Será que tem alguma irregularidade? Que turista irá se hospedar em um alvo? Se o empreendimento fracassar, o que irá acontecer, quem paga a conta da cagada?

E já que estamos em um momento de questionamentos: Quem depende de avião para fazer negócios, executivos e o setor turístico entre outros (olha a Morta aí de novo), se for prejudicado pode acionar o governo por lucros cessantes? E aqueles que optam por viajar de carro, por medo de avião, se sofrerem um acidente, nas belíssimas e seguras estradas brasileiras, pode acionar o governo por danos? Quem paga a conta pelo aumento do número de acidentes nas estradas?

E, afinal, quem foi o brilhante assessor que deixou aquele zurrino "presidente" da pANACa e sua escudeira ganharem uma medalha? Por que ainda não foram demitidos?

Copyright 2010 Jus Indignatus por Ricardo Rayol*template e layout layla*
Clicky Web Analytics