quarta-feira, julho 25, 2007

Update - 14:30

Se não bastasse isso Vanessa da Mata também conseguiu um jabá público. Recebi um email do Ilton Dellandréa, do Jus Sperniandi, com a seguinte nota. Comentário dele: Não é só a surfistinha que é agraciada com benesses governamentais. Veja aí. O povo gerando riqueza para quem já é rico...

--------------------------------


É de conhecimento público que alguns espertos conseguiram passar, pelos gestores da Lei Rouanet, o projeto de filmagem do manual profissionalizante "escrito" pela Bruna Putistinha. Enviei à pocilga, copiando elementos do ministério da "cultura", meu protesto e copiando alguns de vocês. Hoje recebo uma resposta que publico a seguir:

Prezado Senhor,

Em relação ao seu questionamento sobre nota publicada no Jornal de Brasília no último dia 23 de julho, informamos que a Agência Nacional do Cinema autorizou a captação de recursos por meio dos mecanismos de renúncia fiscal previstos na Lei 8685/93 (Lei do Audiovisual) para o projeto “O doce Veneno do Escorpião”.

A empresa proponente, a produtora TV Zero, poderá captar no mercado até R$ 3.798.690,00.

Reiteramos que a Agência não está disponibilizando recursos próprios ou de qualquer outra fonte. A autorização somente permite que o produtor capte os recursos no mercado. Segundo a Agência, o produtor apresentou todos os documentos exigidos para a referida aprovação. Não é atribuição da ANCINE, na análise do projeto, a avaliação ou censura de seu conteúdo.

Para outras informações procure a Assessoria de Comunicação da ANCINE - marcos.rezende@ancine.gov.br

Cordialmente,

Tania Leite

Chefe de Gabinete

Secretaria do Audiovisual - MinC



O interessante é que ela se referencia a uma nota publicada, em um jornal, e não ao meu email, onde, item por item, questiono a aplicação da lei, de acordo com os critérios que lá estão.

E, para completar, a Bruna Putistinha, se fazendo de indignada, protesta contra a repercussão. Ora, se querem produzir um filme sobre aquela bosta de "livro" sem problemas, apesar que o selo pornô brasileirinhas produziu um bem didático, mas que o faça com investidores de risco. Ela que convença alguns empresários a colocarem dinheiro contando com o lucro da bilheteria e não com o beneficio público.

E como diz o Serjão, alguém duvida que as empresas patrocinadoras serão a Petrobrás, o Banco do Brasil, o Banco Central, a Eletrobrás etc?

Copyright 2010 Jus Indignatus por Ricardo Rayol*template e layout layla*
Clicky Web Analytics