domingo, julho 15, 2007

Ao invés de combaterem a corrupção, que infesta os corredores da pocilga, ou exigirem a renúncia de Renan, 199 parlamentares, que formam a Frente Parlamentar Contra a Legalização do Aborto - Pelo Direito à Vida, preparam uma ofensiva: a distribuição de uma cartilha intitulada "Por que Somos Contra o Aborto", com edição de 30 mil exemplares (preferencialmente superfaturados e pagos com nosso imposto). Nessa peça rara de bobagem pseudo-religiosa é preconizado não só o combate a legalização do aborto como, também, é criticada a autorização para a interrupção da gravidez nos casos de estupro, como prevê a lei atual. "A culpa é sua, mulher, por permitir-se ser violentada", bradavam, em coro, os fanáticos.

E não só isso, o aborto em caso de risco para a mãe, outra hipótese permitida pelo Código Penal, é questionado na cartilha. O científico argumento, que embasa esse ponto de discórdia, é de que os avanços da medicina, amplamente aplicados pelo nosso maravilhoso sistema de saúde pública, permitem salvar vidas mesmo em casos de extrema gravidade. "Não é problema nosso se uma intervenção de alto risco leva de 15 a 20 anos para ser realizada", esquivaram-se os nobres e imPolUTOS repre$entante$ do povo.

Copyright 2010 Jus Indignatus por Ricardo Rayol*template e layout layla*
Clicky Web Analytics