domingo, junho 10, 2007

Uma frase realmente da maior importância para a humanidade foi proferida pela Preta Gil: "Sempre lavei minha calcinha no banheiro e depois colocava para secar no varal". Agora está explicado o mistério daquela gigantesca e não-identificada bandeira desfraldada na sacada de um prédio de luxo, na praia do pepino, em São Conrado, Rio.

Nem contra a violência nem pela ética no trato da coisa pública. A classe artística se movimenta mesmo é em prol da Amazônia. Nada contra. Mas se uma atriz se empenhasse tanto pela luta pela ética, por exemplo, as leis nesse país seriam feitas em prol do cidadão e pela proteção do patrimônio público, incluso aí a Amazônia. E ninguém fala sobre a degradação dos mares, muito mais eficiente pela preservação do clime e do meio-ambiente do que a mata tropical.

E em dia de parada gay vai aqui meu apoio à campanha do Walter Carrilho.



Copyright 2010 Jus Indignatus por Ricardo Rayol*template e layout layla*
Clicky Web Analytics