segunda-feira, abril 16, 2007


"Um estudo realizado com células-tronco no Amazonas pode virar referência nacional e ajudar no tratamento de pacientes portadores de insuficiência cardíaca em todo o Brasil. Essa é uma das promessas do Protocolo de Pesquisa com Células-Tronco em Pacientes com Cardiopatia Isquêmica, projeto da Fundação de Hematologia e Hemoterapia do Amazonas (Fhemoam), em parceria com o grupo de cardiologia do Hospital Estadual Francisca Mendes". (fonte site Terra)

No próximo dia 20/04 o STF ouvirá especialistas para discutir "quando a vida começa". Esta consulta é inédita e pode validar ou não a pesquisa com células-tronco embrionárias. Sua utilização, para fins terapêuticos, pode representar talvez a única esperança para o tratamento de inúmeras doenças (doenças cardiovasculares, neurodegenerativas, diabetes tipo-1, acidentes vasculares cerebrais, doenças hematológicas e nefropatias) ou para pacientes que sofreram lesões incapacitantes da medula espinhal que impedem seus movimentos.

"As células-tronco existem em vários tecidos humanos, no cordão umbilical e em células embrionárias na fase de blastócito. Pesquisas com células-tronco, porém, estão cerceadas pela desinformação ou por certas posições religiosas que vêem nelas um atentado contra a vida em vez de um recurso terapêutico que possibilitará salvar muitas vidas". (Dra. Mayana Zatz, professora de Genética Humana e Médica do Departamento de Biologia, Instituto de Biociências da Universidade São Paulo - fonte site do Dr. Drauzio Varela)

A ação direta de inconstitucionalidade, cujo resultado desta audiência está ligado, foi movida pelo procurador Fontenele, baseando-se numa equivocada questão moral. A Igreja, com sua histórica resiliência ao avanço do mundo, coloca a pesquisa no mesmo balaio que envolve a questão do aborto. E o coitado que está morrendo que vá reclamar diretamente com Jesus.

Acompanhemos essa importante deliberação e torçamos para que alguns iluminados escolham a vida, e não a desesperança, como caminho.

Copyright 2010 Jus Indignatus por Ricardo Rayol*template e layout layla*
Clicky Web Analytics