segunda-feira, março 12, 2007

Fui convocado, pelo Lino Resende, a fazer um apanhado de meu cotidiano bloguístico. O objetivo é falar o que faz, no blog, para atender a quem nos lê, que tipo de facilidades oferece, além do post diário, e o que mais eles podem fazer. Pelo jeito a coisa é meio liberal então posso escrever qualquer besteira que está valendo. Mas nada do que eu disser tem sentido se eu não fizer um resumão do que foi e é minha vida na blogosfera.

Por que?
No início era o Caos. Depois piorou. Achava que blog era coisa de "aborrecente" mas descobri, através de um ex-colega de trabalho, o blog do Ilton Delandrea e na sequência o do meu primo Antônio Rayol. Vi que podia ser uma ótima forma de expressão e me engajei. No começo, confesso, levei um tempo para acertar o pé. Continuo capengando mas pelo menos melhorei muito. Procuro escrever o que eu gostaria de ler. Sou apartidário, debochado, irônico, mordaz e democrático. Só não aceito xingamentos. Faço a moderação para evitar a porra do spam e uns e outros, petistas ou não, que descarregam, sem o devido bom senso, suas frustações e ódios aqui.

Aonde?
Como sou um indignado de carteirinha criei o Jus Indignatus. Essa expressão latina não existe, mas se colocasse Jus Indignatis iria ficar muito parecido com o Jus Sperniandi do Dr. Ilton. Quase ao mesmo tempo criei o Blog do Juarez, onde escrevo as aventuras do cabrito montês e com foco em estórias infantis. Ano passado, lá por novembro, por uma razão que desconheço comecei a escrever versos. Daí veio o "A Cor da Letra". É estranhíssimo escrever versos. Na maioria das vezes simplesmente sai e não fico imaginando situações nem explorando sentimentos. Claro que alguns deles tem uma razão de ser. Por último criei o "mago" pop-star, e presidente vitalício da Hector Hereeye Foundation, o Heitor Caolho. Este blog é minha tentatva de sacanear os esotéricos oportunistas que exploram a fragilidade humana que necessitam de uma palavra de atenção de forma escrota e deslavada. E claro, quem sabe me tornar um imortal. Além desses 4 ainda tento colaborar em mais dois blogs coletivos entre outros.

Como?
Tenho minhas atividades profissionais, esportivas e do lar, mas procuro visitar a todos que me visitam. Aos sem-blog procuro escrever e agradecer. Os blogs que tenho linkados são os que visito com mais frequência, mas tenho mais um monte salvo nos meus favoritos. Gosto de todos. A única coisa que me incomoda é a suposta obrigatoriedade de visitar para ser visitado. Eu não cobro visitas. Eu leio blogs por que eu gosto, então não se sintam obrigados a me visitar se não quiserem. E pelamordedeus, se não tem nada a dizer então não se sintam obrigados a comentar, apesar de não custa nada se esforçar. Nada mais frustrante do que ler "legal", "lindo" ou outra coisa qualquer totalmente fora do contexto. E me sacanear vale também, desde que não me xinguem.

Quando?
Pretendo escrever para sempre. Me surpreendo com alguns que desistem de escrever por causa de uma frustração pontual. Alguns blogueiros desistiram por causa da re-eleição do apedeuta. No meu ponto de vista são mais 4 anos de farto material para bombardear. Não que eu ache obrigatório escrever. Longe disso. Mas para mim é uma terapia do cacete. Tenho planos para o Cor e o Juarez. Espero algum dia realizá-los.

Acho que cumpri a tarefa (cumpri Lino?). Sob a risco que a praga dos mil camelos tibetanos se abata sobre suas cabeças convoco a Daniele, a Sara, a Pata Irada, o Cejunior e o Roça para continuarem com essa tarefa.

Não esqueçam de votar no Jus Indignatus. Estamos na reta final e a liderança está ameaçada. Concorram a um brinde exclusivo e primoroso do Jus Indignatus.

Copyright 2010 Jus Indignatus por Ricardo Rayol*template e layout layla*
Clicky Web Analytics