domingo, março 18, 2007

Seria estranho e bizarro se não fosse trágico. No bojo das medidas para combater a violência foi aprovada, pela CCJ do $enado ontem, a medida que cria o Fundo de Combate à Violência e Apoio às Vítimas da Criminalidade, proposto por ACM. Os principais objetivos do fundo são garantir ações preventivas de combate à violência, proteger vítimas de violência, abrir linhas de crédito especial para habitação, realizar programas de saúde para a reabilitação de vítimas de violência, além de promover o amparo social para quem sofre com a criminalidade no país. Não sei o que significa amparo social na cabeça dos políticos mas tenham medo, muito medo.

Continuando. Esse fundo vai receber R$ 2,5 bilhões ao ano até 2020. 75% dessa grana vem dos bens apreendidos com bandidos (R$ 1.850.000.000,00, o que demonstra o quanto é lucrativo esse mercado), 5% será fornecido pelo IR. E os outros 20%? Mistério... ou mais um inovador e inescrupuloso imposto.

Update - 18/03/2007

Ainda acho que 100 menos 80 é igual a 20, o que me leva a crer que temos aí um potencial imposto a caminho. Mas, no Rio, a bala perdida já é um custo. Alguns bairros tiveram o valor dos imóveis depreciados em até 50%. Incrível. Hoje o que norteia a escolha de um imóvel é a posição e distância em relação a um morro. Depois do "custo Brasil" temos o "custo favela".

Se eu fosse proprietário de um imóvel entrava com uma ação contra a União, o Estado e o Município. Ou então ia cobrar meu quinhão desse Fundo. Afinal, segurança não é uma obrigação do governo?


------------------------------------------
Ajudem o "A Cor da Letra" a ganhar o blog da quinzena, cliquem no banner ao lado.

Tem post novo do esotérico Heitor Caolho.

Não deixem de ler o blog do Movimento Evolução. Participem do fórum, cliquem aqui

Copyright 2010 Jus Indignatus por Ricardo Rayol*template e layout layla*
Clicky Web Analytics