sexta-feira, dezembro 22, 2006

Tenho aversão a passeatas pela paz. Imagino um bando de ovelhas marchando implorando aos lobos que não as devorem. Fico indignado. Por que não pedem ética no trato com a coisa pública ou leis que sejam seguidas ou o fim da impunidade? Não, só paz. Mas, como o ser humano é muito criativo, um casal de velhinhos apareceu com uma nova forma de lutar em prol do bem-estar da raça humana. Li, no blog "Aqui não, Genésio", sobre um tal "Dia do Orgasmo" (leia o post aqui). Vieram várias questões na minha cabeça:

- O dia escolhido é hoje, 22 de dezembro. Por que não no dia 25, natal, quando pelo menos 1 bilhão de seres humanos estarão com aquele enorme espírito fraternal? Não teria mais efeito?

- Como dia 22 é uma sexta feira, dia útil, como ficamos nós, brasileiros, se a hora marcada for dentro do horário comercial? Como convencer o chefe que temos que sair para dar uma bimbada em prol da humanidade? E se não? Praticar o esporte de Ona no escritório da empresa, está valendo?

- Conforme as sagradas leis do Islã, o sujeito pode ter até 4 mulheres desde que todas tenham os mesmos direitos entre si. E se todas quiserem aderir? O sujeito poderá ser punido por não atendê-las? O mesmo vale para os católicos. Pelas sagradas escrituras adultério é pecado. Se a pessoa resolver dar aquela força com o(a) amante, conta ou não? E os judeus? O sabbath começa na sexta feira ao aparecer a primeira estrela no céu. Não conheço bem este particular, da religião judáica, mas se transar no sabbath for proibido, eles não estariam sendo discriminados caso o horário coincida?

E, por último, se o Lula resolve assinar um decreto nesse dia, no mesmo horário, ferrando (para não falar palavra feia eheheh) com a vida de todos nós brasileiros, o fato de que mais de 40 milhões de petralhas terão orgasmos, vale?

UPDATE

Hoje é o dia. Em enquete no site do Terra 66,21% das pessoas responderam que vão dar umazinha pela paz, 15,02% não poderão por motivos diversos e 18,76% não sabem o que diabos é orgasmo. As questões acima estão ainda valendo.

O Serjão pediu maiores detalhes sobre regulamentação. Bom, não sei dizer sobre os idealizadores desse movimento siuncronizado. Mas, se eu fosse o idealizador, não colocaria regra nenhuma..

Copyright 2010 Jus Indignatus por Ricardo Rayol*template e layout layla*
Clicky Web Analytics