quarta-feira, dezembro 27, 2006


Li no G1 duas notas interessantes. A primeira diz respeito à dura realidade do tapa-buraco terrestre. O T-CU identificou que 69% (número cabalístico não?) dos trechos que foram alvo da operação, inusitada e sem-licitação, de reforma das estradas federais estão em estado ou péssimo ou regular. Os problemas, apontados pelo T-CU, são muitos: falta planejamento para as obras, os contratos são freqüentemente superfaturados, falta fiscalização e punição para os desvios, além de não haver prioridades definidas para os investimentos. Que a operação tapa-buraco era um desvio, que aliás é a tônica do atual (des)governo, todos sabiam. Quero ver agora se haverão punições. A brincadeira toda custou quase R$ 5 bilhões. Mas valeu a re-eleição. No caso acho que foi a operação tapa-buraco das contas correntes e fundos de investimentos de certos personagens.

A segunda nota diz respeito ao tapa-buraco aéreo. O CAN vem se arrastando há quase 3 meses. Como agora a TAM, queridinha do PT, exagerou na dose e meteu os pés pelas mãos vai sofrer sanções. Como li, lá no S.O.B.R.E.T.U.D.O, o que mais me emputece é que quando a VARIG estava combalida não houve a mesma boa-vontade oficial com os passageiros que ficaram espalhados pelo Brasil. Realmente deveriam entregar o prêmio nobel de incompetência ao matusalêmico ministro da defesa e ao "cu-mpanhero" presidente da PANACA.

PS: Hoje não estou muito inspirado ahahaha

Copyright 2010 Jus Indignatus por Ricardo Rayol*template e layout layla*
Clicky Web Analytics