quinta-feira, setembro 28, 2006


Leio, na Folha Online, que o enfermeiro Jorge Lorenzetti, acusado de participar da compra do dossiê contra o tucano José Serra, deixou a diretoria administrativa do Besc (Banco do Estado de Santa Catarina). Conhecido como o churrasqueiro preferido de Lula, Lorenzetti tinha sido indicado ao cargo pelo próprio presidente da República, segundo a assessoria de imprensa do Besc. Pera lá, Lula indicou um enfermeiro e churrasqueiro para ser diretor de um banco estatal, e esta estável e confiável instituição financeira aceitou? Bom, para indicar alguém tão qualificado Lula realmente não devia saber de nada. Mas, conhecendo os burocratas estatais, algum iluminado TCR deve ter perguntado ao supremo comandante lulístico se ele sabia que o sujeito era um enfermeiro e churrasqueiro. "Claro que sei! Coloca ele aí no cargo que é meu faixa.", deve ter respondido Lula.

Essa lógica kafkaniana é de deixar qualquer um de miolo mole. Lula saber que o indicado era tão bem qualificado só pode ser por ser seu amigo do peito, afinal ninguém assa as carnes presidenciais sem ter a intimidade necessária. Se não sabia, em 16 anos de serviços prestados, Lula nunca olhou para a cara do sujeito. Mas então por que o indicaria?

Ou Lula sabe ou não sabe, qual a questão? E, enquanto isso, a propriedade do dinheiro do dossiê continua desconhecida.

Copyright 2010 Jus Indignatus por Ricardo Rayol*template e layout layla*
Clicky Web Analytics