quarta-feira, setembro 20, 2006


Leio coluna do Kennedy Alencar na Folha On Line. No artigo faz algumas considerações interessantes à re-eleição do Lula, implicações escandalosas e, claro, a posição "refensiosa" que se encontrará perante o PMDB (ê partidinho).

Uma coisa que me chamou a atenção é a tal "agenda pela governabilidade" que Lula quer impingir aos partidos políticos. Esse papo sempre rola antes das eleições. Tirando Collor, que é por demais arrogante para dividir o que quer que seja, todos os outros vieram com esse discurso. Tipo esmola, coisa que o (des)governo sabe dar como ninguém. Essa "agenda" é um objeto metafísico que não diz nada com nada e não reflete as reais intenções de quem está por cima nas pesquisas. No caso de Lula, a situação é bem mais complicada pois ninguém aguenta mais o discurso de que ele não sabia de nada. O tal "escândalo do dossiê" é tão primário, o que faz muito sentido, que estou achando que tem algo muito mais simplório na queima de assessores diretos do presidente. Será que ser o primeiro-churrasqueiro é um cargo tão magnífico?

Em relação ao título deste singelo e matreiro post, não sei bem o que é after mas o (des)governo vai ter que rebolar pra dar.

PS: Estou com uma mania idiota de colocar imagens nos posts...

PS2: A imagem é do Francisco, churrasqueiro do Hotel Renoir.

Copyright 2010 Jus Indignatus por Ricardo Rayol*template e layout layla*
Clicky Web Analytics