terça-feira, setembro 05, 2006

A nata de intelectuais da humanidade manifestaram seu apoio à candidatura de Heloisa Helena ao planalto. São mais de 250 desses seres extraordinários. Sobre-humanos do quilate como o lingüista e ativista americano Noam Chomsky, o sociólogo francês Michael Lowy, o cineasta britânico Ken Loach e o filósofo esloveno Slavoj Zizek. São intelectuais que todos conhecemos e de importante relevância para o andamento das coisas no Brasil o qual, sem eles, estaria na idade da pedra.

No bojo deste apoio entusiasmado publicaram um manifesto onde metem o pau em Lula por ter seguido "um típico curso social-liberal, desapontando milhões de pessoas que votaram nele com a esperança de mudança social e política radical e pessoas do mundo inteiro que esperavam do Brasil novo impulso à luta ant-iimperialista" (fonte Folha Online).

Deixa eu entender uma coisa. O "crème de la crème" da intelectualidade mundial levaram 4 anos para se manifestar sobre um assunto que era óbvio no segundo dia do mandato? (lembrem-se que no primeiro foi a festa da posse e bom imaginem que o estado de nosso impávido governante não devia ser dos melhores). Um fato que é de conhecimento público e repudiado por pessoas menos gabaritadas desde sempre?

Fiquei com algumas questões na cabeça que compartilho com vocês amigos blogueiros. Se o Brasil pretende ser uma potência mundial não se tornaria, desta forma, um país imperialista? Se Lula é contra o anti-imperialismo significa que ele quer ser imperador?

PS: Se um americano é anti-imperialista onde será que ele mora?

Copyright 2010 Jus Indignatus por Ricardo Rayol*template e layout layla*
Clicky Web Analytics