segunda-feira, julho 31, 2006

Bizarrice que só acontece no Brasil. Dona Vitória, a velhinha de Copacabana que filmou às próprias custas e riscos o tráfico diante de sua janela, perdeu a ação indenizatória contra o Estado, que deveria fazer o papel que lhe coube. Um dos argumentos apresentados, pela defesa, é que indenizar a iniciativa que ela teve, de fugir de casa para não ser morta, iria estimular outras vítimas da violência a seguir o mesmo caminho.

Resumindo. O Estado é incompetente para garantir a segurança pública. O Estado é incapaz de fazer um trabalho de inteligência para desmantelar as quadrilhas de traficantes que trabalham debaixo do seu nariz. Ela, sozinha, conseguiu obter provas que levaram 22 bandidos às grades, incluindo-se 9 policiais. Ela teve que abandonar o apartamento em que morava, de sua propriedade, para não ser morta. E ainda assim não tem direito a nenhum real de indenização. Enquanto isso, a justissia dá ganho de causa a um sujeito que importou a idéia do tele-sexo para o Brasil, coisa bisonha aliás, teve seu contrato rescindido e vai receber, com dinheiro recolhido por nossos impostos, R$ 260 milhões de indenização.

Parece sacanagem mas não é. Ou pior, uma mensagem clara para que os cidadãos de bem (expressão piegas e cafona mas correta) fiquem na sua, que a bandalheira impera e vai mandar na parada por muito tempo ainda.

PS: Dona Vitória só não terá que pagar as custas processuais (R$ 2 mil) pois é carente e usou a defensoria pública. Caso contrário, tava ferrada, perigava de ir presa por dívida.

Copyright 2010 Jus Indignatus por Ricardo Rayol*template e layout layla*
Clicky Web Analytics