domingo, julho 16, 2006

Leio, na Folha On Line, artigo de Luiz Vianna. Começa assim meio dramático. "A Justiça condena em excesso, o Estado não oferece à superpopulação de presos as condições mínimas, e está criada a base para o crescimento de uma facção como o PCC." Em outra parte do artigo um sujeito diz que o que acontece em Araraquara é pior que o que aconteceu nos campos de concentração nazista. Várias opiniões relevantes para a humanidade são apresentadas. (leia a íntegra aqui)

Vamos por partes. Se a justiça condena em excesso é por que são cometidos crimes em excesso. É óbvio que misturar, ladrão de galinha com bandido de alta periculosidade, é receita certa para o desastre. Daí ter uma política carcerária, e punições, que separem estes dois elementos deveria ser a tônica do assunto. Não apontar a causa e sim dar a solução. Dar as "condições mínimas" são também uma idéia boa. Saúde, educação e segurança são os requisitos para tal. E é exatamente o que não temos. E pagamos impostos, porra.

E se aquela cambada de animais está ao relento é por que eles mesmo trataram de depredar a prisão em que vivem, no mínimo para arrumar uma fugazinha em massa. E vai custar uma baba preta reconstruir tudo. O justo seria que os tais "coitados ao relento" fossem ralar como pedreiros. Já aprenderiam uma profissão. Comparar essa situação ao holocausto é uma afronta a memória dos que foram assassinados pelo nazismo.

Isso é que dá colocar PIMBA's para discutirem coisas práticas. Eu quero os meus direitos humanos primeiro.

Copyright 2010 Jus Indignatus por Ricardo Rayol*template e layout layla*
Clicky Web Analytics