segunda-feira, abril 24, 2006

De um lado Arthur Virgílio, senador pelo PSDB (AM), candidato ao governo do Amazonas numa coligação com PV-PPS, na cara de pau que é habitual aos políticos admite que o caixa dois é uma prática corriqueira na política brasileira.

Do outro lado, Emiliano José (PT-BA), diz que ACM é o verdadeiro dono de negócios milionários do publicitário Fernando Barros. Um desses negócios é o porto por onde, na Bahia, a Ford exporta automóveis da fábrica plantada lá. Que ACM não é santo não é nenhuma novidade, muito menos que ele tenha participação nos negócios do estado que governou, e governa, com mão de ferro.

Dois aspectos da sem-vergonhice que singra os mares da democracia brasileira. O que causa estranheza é que depois de um século de governo, sim pessoal acredito que ACM seja a reencarnação de Matusalém, somente agora alguém resolve peitá-lo. No mínimo é uma forma de desacreditar, apesar de que eles não precisam de ajuda nenhuma nesse sentido, o PFL em um momento onde se define se vão ser ou não vice na chapa do PSDB. Quanto ao caso caixa 2 só matando essa corja mesmo.

Copyright 2010 Jus Indignatus por Ricardo Rayol*template e layout layla*
Clicky Web Analytics