domingo, março 26, 2006

Surpreendente e, graças a Deus, esperada a reviravolta do caso Francenildo. Quando todos achavam que as instituições democráticas e de direito tinham ido pro vinagre, por conta da quebra ilegal do sigilo bancário do caseiro e da investigação kafkaniana sobre ele, a opinião pública consegue reverter a situação.

O (des)governo deve demitir Palocci e o presidente da CEF. Mas ainda irá tentar uma jogada marketeira, que tem cheiro de Duda Mendonça, de dissociar a imagem do Lula do descabido evento.

Volto a dizer, a reviravolta só foi possível graças a forte pressão da opinião pública. Não vou entrar no mérito se o Palocci é ou não culpado, apesar de estar muito evidente, mas a quebra ilegal do sigilo do caseiro foi além de qualquer nível de indecência, entre tantas, cometidas pelo PT.

Resta agora se preparar para a instabilidade econômica, leia-se oportunismo do desastre, que nossos criativos financistas irão propagar até o surgimento de um nome de peso para comandar a Fazenda. Caso não aconteça nada realmente o Brasil PT e o Brasil real são duas entidades diferentes.

Copyright 2010 Jus Indignatus por Ricardo Rayol*template e layout layla*
Clicky Web Analytics