quinta-feira, fevereiro 23, 2006

O nosso amigo Tambosi fez um comentário a respeito da retirada da constituição do tabelamento dos juros. Fato atribuído ao (des)governo Lula. E, teoricamente para alguns, um dos ofensores ao desenvolvimento. Mas nesse ponto tenho a obrigação de tecer uma consideração.

Como qualquer produto o dinheiro também tem seu preço, o juros. Logo ele tem que ter sua flutuação e, em nível nacional, ser gerenciado de forma responsável e independente para permitir o desenvolvimento do país. Hoje, os economistas da hora, qualquer que seja o partido, nos fazem crer que os juros básicos tem que ser estratosféricos por que o país ainda não está maduro blábláblá e, então, funciona como controle de reservas cambiais, como se de uma hora para outra tudo que foi investido no país, nas duas últimas décadas, fosse evaporar.

Então pessoal, tabelar juros na constituição foi por si só uma aberração e pior, demagógica. E ainda bem que alguma alma iluminada resolveu acabar com essa bizarrice. O problema maior é a ingerência política no processo de tomada de decisão do tal COPOM.

Copyright 2010 Jus Indignatus por Ricardo Rayol*template e layout layla*
Clicky Web Analytics